Resenha: Biblioteca de Almas - A diferença é o que nos torna únicos | Cinema de Buteco
Buteco Literário Destaques Resenhas

Resenha: Biblioteca de Almas – A diferença é o que nos torna únicos

“Um oportunista disfarçado de amigo pode ser tão perigoso quanto um inimigo declarado. ”

Biblioteca de Almas é o título que encerra a trilogia Lar da Senhorita Peregrine Para Crianças Peculiares, então, não recomendo a leitura para quem ainda não leu o segundo livro da série.

Confira a nossa resenha de O Lar da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares

Confira a nossa resenha de Cidade dos Etéreos aqui.

Cidade dos Etéreos encerra em um grande momento de tensão: Jacob acaba de descobrir sua nova habilidade, enquanto está preso em uma cabine telefônica ao lado de Emma e Addison (o cão) e cercado por um etéreo. Para piorar, o livro termina com os outros peculiares sendo levados pelos acólitos.

“Milagre. Maldição. Eu não tinha entendido exatamente a diferença. ”

Com o objetivo de tentar encontrar os peculiares, as ymbrynes e evitar que os acólitos consigam recriar a explosão da fenda temporal (que causou a criação dos etéreos), o trio parte em uma aventura com situações um tanto inusitadas.  No meio do caminho, novos personagens aparecem e acabamos aprendendo mais sobre a vida da Senhorita Peregrine. Temos ainda mais participação de um dos personagens mais cativantes do segundo livro: Addison, o cão peculiar. E para deixar mais interessante, toda a história leva apenas dois dias e meio!

“Todos temos prazo de validade. Se eu fosse vocês, não teria pressa para descobrir qual é.”

Mesmo pecando em pequenos momentos, Riggs consegue o mais importante: trazer a reflexão acerca de convivermos com as diferenças dos outros e entender que isso é essencial para o mundo. Riggs também aproveita para mostrar para seus pequenos leitores a dificuldade de ter que fazer escolhas difíceis e saber abdicar de certas coisas. Em Biblioteca de Almas temos novos personagens, maior participação dos que ficaram de fora nos livros anteriores e mais amadurecimento por parte de Jacob. E quanto ao amadurecimento, isso é bem nítido quando ele se pergunta o que o velho Jacob inseguro e chorão faria para nunca mais repetir.

“Eu já havia matado meus demônios, mas as vitórias eram efêmeras: outros haviam se erguido rapidamente para substituí-los. ”

Como os peculiares e as ymbrynes estavam no presente, cada segundo era crucial para salvar a existência de seus amigos. Nessa correria, acabam causando um grande tumulto no metrô de Londres e em certo momento, acabam chegando nas bordas do Tâmisa. A partir daí, conhecemos um novo peculiar, o barqueiro Sharon. Ele apresenta ao trio a região e os leva até uma nova fenda temporal: o Recanto do Demônio. Um local sem leis e perfeita para os acólitos planejarem a dominação do “mundo normal”. Neste momento a trama esquenta e vemos que o universo peculiar criado por Riggs foi muito bem explorado e é consistente.

“- É uma ideia completamente maluca, eu sei. Mas meu cérebro é uma máquina de produzir esperança.

– Que bom — falei. — O meu só cria as piores situações possíveis.

– Então precisamos um do outro. ”

Com uma conclusão bonita e digna, tenho certeza que as crianças e adolescentes que estão criando o hábito de leitura com as obras de Riggs, crescerão com boas memórias dos peculiares, assim como acontece comigo sempre que relembro o mundo mágico criado por J.K. Rowling. A linha narrativa do autor é coerente, divertida e sem grandes pretensões. Acredito que nem o próprio Riggs esperava tanto sucesso, por isso dou o desconto nas pequenas falhas que cometeu ao longo da trama. Aqui vão algumas falhas que percebi:

  • Já que as Ymbrynes são tão poderosas, por que não temos nenhuma demonstração de seus poderes? Foram inúmeros momentos para que eles fossem apresentados aos leitores, mas acabaram sendo descartados;
  • Com o poder das Ymbrynes ou com um pouco de lógica, muitos dos problemas apresentados na trama poderiam ser solucionados facilmente;
  • Em determinado momento da obra, o etéreo já estava bastante fraco, então, de que forma o polifendador continuou a funcionar?
  • Como Jacob consegue atravessar a fenda sem a ajuda e presença da Senhorita Peregrine?

“Apenas uma história. Mas nunca era apenas uma história. Isso tinha se tornado uma das verdades definidoras da minha vida, pois por mais que eu tentasse manter as histórias aplanadas, bidimensionais, presas em papel e tinta, sempre haveria aquelas que se recusavam a ficar restritas ao interior dos livros. Eu sabia: uma história tinha engolido toda a minha vida. ”

Em meio a tantas sagas em que adolescentes tentam salvar o mundo e ao mesmo tempo conseguir um primeiro beijo, O Lar da Senhorita Peregrine consegue fugir da mesmice e se destacar ao trabalhar tão bem as diferenças que nos tornam únicos. Sém dúvida alguma, este é um universo que tem muito a ser explorado!

Ficha TécnicaBiblioteca-de-Almas-Srta-Peregrine-Cinema-de-Buteco-Resenha-3 Resenha: Biblioteca de Almas - A diferença é o que nos torna únicos

Título | Biblioteca de Almas

Autor | Ransom Riggs

Tradutora | Fernando Carvalho

Editora | Intrínseca

Idioma | Português

Especificações | 416 páginas

ISBN | 978-85-8057-966-6

 

Felipe Borba

Nasceu no Pará, cresceu no Maranhão e vive em Minas Gerais. Além de se considerar um explorador da natureza; Felipe é publicitário com especialização em Marketing Estratégico, é viciado em novas tecnologias, queria ser adotado pelo Neil Gaiman e tem mais livros do que dá conta de ler.