Destaques Mesa de Bar

Mesa de Bar: Zumbis, Marvel e bananas

TULLIO DIAS: ESSA SEMANA NÃO TIVEMOS MUITO MATERIAL NOVO pintando no site ou grandes novidades sobre o mundo do cinema, mas seria um pecado não comentar sobre a aguardada adaptação do livro Celular, de Stephen King, que ganhou seu primeiro trailer. Você sabe do que se trata, Lucas?

Lucas Paio: Fala, Tullio Dias! Não, não faço a mínima ideia. Elucide-me.

Tullio: Claro, claro. É simplesmente uma visão dos zumbis pelos olhos, mente, dedos e palavras do mestre da datilografia Stephen King!

Uma onda cerebral atinge todo mundo que está portando um celular e os transforma em criaturas bizarras a fim de comer geral. Um pesadelo só! John Cusack e Samuel L. Jackson são os mocinhos. Lembra que eles trabalharam juntos em 1408?

Lucas: Não lembro, porque nunca vi esse filme. Mas lembro de um professor na faculdade que, já em 2003 (olha eu denunciando a idade), alertava para os perigos de se usar o celular. “Esse troço frita o cérebro”, dizia ele. E se pararmos pra pensar, tem tanta gente aí colando os olhos na tela dos smartphone, se desligando do mundo exterior e praticamente virando zumbi…

Tullio: Exatamente: King é inteligente demais e conseguiu levar a crítica de George Romero para um outro patamar. Infelizmente, Celular não recebeu tanto destaque assim no mundo do cinema, já que o lançamento acontecerá direto em VOD… Bom para a gente, pelo menos.

O trailer foi publicado no site, mas se você não viu ainda, aqui vai:

Mudando de assunto completamente, ansioso para a estreia de Guerra Civil?

Lucas: Ah. Sinceramente? “Ansioso” é uma palavra que não tenho usado muito pra descrever filmes que estão pra estrear, ainda mais depois de algumas decepções recentes. E o Guerra Civil já teve tanto trailer, discussão sobre o trailer, discussão sobre o Homem-Aranha no trailer, eu já sei quem está no time do Capitão América e quem está no time do Homem de Ferro, conheço o jeitão dos filmes da Marvel, sei que estilisticamente – em termos de Cinema mesmo – não vai ter nada de novo pois eles seguem um padrão bem semelhante, como se fossem episódios de um seriado enorme… Estarei lá no cinema e espero me surpreender positivamente, porque as expectativas por enquanto estão meio… meh.

Pelo menos eu me preparei pro Guerra Civil escutando as duas playlists especiais que o Cinema de Buteco fez, uma pro Capitão América e outra pro Homem de Ferro, que tiveram de Black Sabbath e Bruce Springsteen até Bruno & Barreto e MC João.

Tullio: Então, me deixa reformular: você está se cagando de medo do risco de levar spoiler na cara? Eu só vou assistir amanhã, ou seja, um dia depois do lançamento.

Lucas: Eu vou ver no fim de semana, mas só teria medo de spoilers se o George R.R. Martin fosse o roteirista. Imagina o que ele não faria com o Tony, da casa Stark?

Tullio: Será que não é…? HAHAHAHA

Lucas: Pela saúde dos Vingadores, eu espero que não.

Aliás, sabe uma história que seria interessante de ser adaptada para o cinema? Uma minissérie chamada “1602“, escrita pelo Neil Gaiman, que coloca os heróis da Marvel nas intrigas da corte da rainha Elizabeth no século 17. “Sir Nicholas Fury” é o chefe da inteligência da rainha, “Carlos Javier” é um espanhol que reúne jovens com habilidades especiais tidos como bruxos… Sinto falta do cinema trabalhar isso que os quadrinhos fazem tão bem, de criar realidades e mundos alternativos.

1602-Marvel-838x570 Mesa de Bar: Zumbis, Marvel e bananas

Ou uma história chamada “Entre a Foice e o Martelo”, que imagina um mundo onde, em vez de chegar à Terra numa cidadezinha do Kansas, o Super-Homem acaba caindo na União Soviética de 1938. Gostaria de ver histórias diferentes nas telonas, ao invés do mesmo feijão com arroz que a gente sempre vê.

Tullio: A verdade é que o mundo não está preparado para existir a esse tipo de filme que se preze a trabalhar com realidades alternativas. Imagine a recepção do público. Sem chance. E para explicar que é uma realidade alternativa?

Lucas: Pois é, os filmes de super-herói estão fazendo agora o que os quadrinhos já faziam nos anos 1950, 1960: interligar títulos, colocar um personagem no filme do outro… Vai demorar muito pra gente ter inovações nesse sentido, como universos alternativos, crossovers entre estúdios – colocar Marvel vs DC, Super-Homem estapeando o Hulk como já aconteceu várias vezes nas HQs…

Mas, como a gente já falou num outro Mesa de Bar, o crossover que ninguém pediu – “Anjos da Lei vs Homens de Preto”! – vai chegar aí. Qual o crossover dos seus sonhos no cinema, Tullio?

Tullio: Hannibal Lecter como um personagem de filmes do Woody Allen.

Lucas: Boa. “Canibal Neurótico, Vítima Nervosa”. Ou, simplesmente, “Hannie Ball”.

Já eu torço para um crossover “Planeta dos Macacos vs Bananas de Pijamas”.

Tullio: Loucuras, loucuras, meu velho. Quem sabe numa realidade alternativa?

1602-Marvel-838x570 Mesa de Bar: Zumbis, Marvel e bananas

A coluna Mesa de Bar é produzida durante a semana através de um chat no Facebook. Todas as semanas temos um assunto novo para ser debatido dessa maneira informal. Sugestões de pauta: contato@cinemadebuteco.com

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.