Destaques Sons de Buteco

As músicas de Esquadrão Suicida

A MELHOR COISA DE ESQUADRÃO SUICIDA – fora a Viola Davis, Margot Robbie e as participações especiais de personagens do universo DC – é a sua trilha sonora. No entanto, o excesso de cenas musicais acaba transformando o filme num videoclipe eterno. Vale a confissão de que eu sou o tipo de espectador que se sente conquistado por uma obra justamente por ter uma cena que seja com alguma canção boa.

Leia a crítica completa de Esquadrão Suicida e conheça algumas das principais faixas que tocam ao longo da trama:

“The House of the Rising Sun”

Sabe o que é triste? Ouvir as notas iniciais desse clássico do The Animals (que ganhou uma regravação épica do Muse nos anos 2000) logo na introdução de Esquadrão Suicida e ter aquela certeza de que a DC finalmente acertou.

“You Don’t Own Me”

Segundos depois do personagem de Will Smith ser apresentado com “The House of the Rising Sun” foi a vez do público ir ao delírio com a introdução de Margot Robbie na pele da louca Harley Quinn. Para quem esperava alguma das canções ouvidas nos trailers, a surpresa: a vilã é apresentada com uma música de Lesley Gore. Impossível não lembrar de “Angel of the Morning” em Deadpool

“Sympathy for the Devil”

Só mesmo a DC para conseguir incomodar o público logo com uma música dos Rolling Stones. Quando essa música do capiroto começa a tocar em Esquadrão Suicida já havia aquele clima de “puta merda! Mais uma música? Isso é um filme ou uma fucking medley de rock para introduzir todos esses personagens?”.

“Super Freak”

Bem… não importa se o filme parece uma encarnação cinematográfica de teasers do Spotify no Happn: ouvir “Super Freak” nos cinemas sempre dá vontade da dançar felizão. Evitarei spoilers maiores com descrições das cenas, mas aqui é um momento especial da Harley Quinn com um certo vilão de cabelo verde…

“Paranoid”

Além de AC/DC (com “Dirty Deeds Done Dirt Cheap”), a produção de Esquadrão Suicida também roubou a “exclusividade” do Black Sabbath com a franquia Homem de Ferro.

“Seven Nation Army”

Essa todo mundo conhece, não é mesmo?

“Without Me”

De repente Esquadrão Suicida nos faz voltar uns 20 anos para a época em que existia uma MTV de verdade passando clipes e cuidando da educação musical de adolescentes ao redor do país. Sem essa de YouTube, galere. As pessoas não sabem lidar com livre arbítrio e por isso acabam ouvindo batidões cariocas ao invés do bom e velho rock. Ou rap, como no caso.

“Bohemian Rhapsody”

Responsável pelo “encerramento” das aventuras suicidas desse bando de louco psicótico (e louca de pedra e mais a ninja maluca que conversa com sua espada), “Bohemian Rhapsody” dá o ar de respeito e classe que a trilha sonora precisava para ser inquestionavelmente a melhor coisa de Esquadrão Suicida.

Tullio Dias

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.