Review: Black Mirror s03e06 - "Hated in the Nation" | Cinema de Buteco
Black Mirror Destaques

Review: Black Mirror s03e06 – “Hated in the Nation”

CHEGAMOS AO FINAL DA TERCEIRA TEMPORADA DE BLACK MIRROR e ao meu último texto dessa cobertura especial. Acabei escolhendo “Hated in the Nation”, que tem aproximadamente 1h30 de duração, e fala sobre o ódio presente no discurso da turma da internet. Dos tradicionais comentaristas dos grandes portais de notícia até aquele pessoal que paga de descolado, mas é um poço de intolerância, pré-julgamentos e preconceitos.

Num mix com CSI e Arquivo X, o último episódio da terceira temporada de Black Mirror, “Hated in the Nation”, se passa num futuro próximo com uma dupla de detetives investigando estranhas mortes conectadas a uma hashtag usada nas mídias digitais.

Tentamos fugir de spoilers nas nossas análises da série – e não me perguntem o motivo, afinal de contas se você está lendo o review de um episódio deveria se preparar psicologicamente para saber o que acontece. Nossos textos de Game of Thrones e The Walking Dead que o digam! – mas talvez seja necessário abusar um pouquinho do excesso de informações desta vez.

A comparação com Arquivo X é reforçada até na caracterização das protagonistas. Enquanto Karin (Kelly Macdonald) é mais cética, Blue (Faye Marsay) mantém a mente aberta para tentar desvendar o caso. Mas a homenagem não fica apenas na dinâmica da dupla principal. Blue representa o moderno e faz um paralelo com o estilo jurássico de Karin, que não possui intimidade alguma com tecnologias e preferiu insistir que a morte da primeira vítima foi causada pelo marido da mesma. Um elemento essencial na trama são as abelhas, que foram usadas como um detalhe crucial na primeira aventura de Fox Mulder e Dana Scully nos cinemas em Arquivo X – O Filme. Já em “Hated in the Nation”, as abelhas estão extintas e foram substituídas por pequenos robôs que se tornam armas letais para acabar com a vida das figuras mais odiadas na internet.

Para uma série que usa a tecnologia como base de seus roteiros, “Hated in the Nation” acerta em cheio ao colocar o elemento humano como grande “vilão”. Afinal, basta alguém escrever ou fazer algo questionável para ser odiado pelo público nos dias de hoje. O Twitter fica infestado de ofensas pessoais e ameaças para pessoas que simplesmente disseram algo que alguém não gostou. Ou escolheu votar no político que você detesta. O roteiro dá o poder de executor para todos aqueles que se acham no direito de se manifestar e o resultado é sangrento.

“Hated in the Nation” é um encerramento em grande estilo para o mais novo produto da Netflix. Podem acreditar que esse episódio corre sérios riscos de entrar no nosso ranking anual de melhores filmes de ficção-científica de 2016. Para nós, fãs de Black Mirror, fica a expectativa para aguardar a nova leva de episódios no ano que vem. Se superarem essas seis novas histórias teremos um 2017 realmente incrível.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.