Review: Prison Break s05e09 - "Behind the Eyes" | Cinema de Buteco
Destaques Séries e TV

Review: Prison Break s05e09 – “Behind the Eyes”

Dizem que os olhos são o espelho da alma. Em Prison Break, é apenas mais uma peça de uma enorme quebra-cabeça nas ideias de Michael Scofield. Vamos à análise do último episódio desta provável última temporada.

Behind the Eyes

Assim como tudo na vida, as tatuagens do Michael sempre têm um significado, nada é por acaso. Desde o primeiro episódio da quinta temporada, vimos desenhos diferentes em suas mãos. Eram olhos que, até então, não entendíamos o porquê de tê-los feito. O mistério acabou.

Os tais olhos e outros vários traços e rabiscos feitos nas costas da mão de Scofield formavam exatamente o rosto do Poseidon. O intuito era passar pelo detector facial, entrar na ‘batcaverna’, roubar arquivos e discos rígidos e poder incriminar o vilão. Deu certo. Sempre dá.

Rest in Whip

Das minhas previsões da análise anterior, só errei ao dizer que o T-Bag terminaria feliz com o filho ou talvez morresse. Feliz ele até ficou. Por terem se conhecido. Porém quem morreu mesmo foi o próprio Whip.

Não deu ouvidos ao pedido de seu pai e tomou um tiro disparado pelo Poseidon. Fica a lição: Nunca desobedeça seus pais! Até porque, de se ferrar o mão-de-ferro entende pra caramba!

Lincoln é da Marvel

Só pode. Quando o cara está numa briga, bate em todo mundo e até arromba porta no braço. Forte igual um touro, igual o Hulk. E quando toma tiro à queima-roupa, sangra um rio, mas sem precisar transfusão ou cirurgia, sai andando como se nada tivesse acontecido. Como Wolverine, se recupera em pouquíssimo tempo. Impressionante!

Final Feliz

Alguém duvidava que isso aconteceria? Prison Break sempre amarrou bem os detalhes e os roteiristas souberam dar sequência aos fatos. Mas a série é igual criança que não sabe mentir: não engana e, às vezes, não convence ninguém.

Por que Sara não desmentiu Poseidon e contou ao filho que Michael era seu pai biológico? Se ela não falou nada, por que colocar Scofield no mesmo local, mas não ao lado do filho? Se o menino ainda achava que ele era um enganador, como aceitaria estar tão perto? Enfim, erros contínuos e até grotescos marcaram a quinta temporada.

Por que Michael enfim terminou vivo e feliz e não preso como da última vez? Bom, desta vez o problema não está com ele. Está de volta à Fox River, com T-Bag e Jacob/Poseidon. Acho que não citariam a antiga morada da série sem querer. É, talvez, a ridícula vontade de continuar algo desgastado. Não dá mais. É isso.

Walter Riedlinger

Jornalista. Palmeirense fanático e Pé vermelho com orgulho. Escrever e cantar são minhas paixões.