Um Sonho Sem Limites | Cinema de Buteco
Comédia Policial

Um Sonho Sem Limites

todie Um Sonho Sem Limites

Gus Van Sant é um dos maiores nomes do cinema atual, embora nunca tenha recebido o devido reconhecimento da Academia. Foram duas indicações ao Oscar (por Gênio Indomável e Milk) e nenhuma vez levou a estatueta de melhor diretor para casa. Mas sem dúvida, Van Sant ainda vai dar muito o que falar e irá receber o seu prêmio. É apenas uma questão de tempo.

Desconhecia totalmente o fato do diretor ter se envolvido num projeto de humor negro estrelado por Nicole Kidman (em uma de suas atuações mais comentadas e premiadas). O filme Um Sonho Sem Limites é de 1995 (mesmo ano em que a ruiva estrelou Batman Eternamente) e provavelmente, muitos aqui já devem ter visto nas madrugadas da rede Globo. Foi o meu caso, mas foi há tanto tempo que sequer lembrava o enredo do filme ou das participações de Casey Affleck e um Joaquin Phoenix magricela. A história, baseada num livro de Joyce Maynard, conta a história de uma bela moça do interior que se casa com um descendente de italiano (interpretado por Matt Dillon), que a ajuda a realizar o sonho de ficar famosa. E para isso, ela não poupa esforços.

Poderia encaixar esse filme na sessão de Não Morra Antes de Assistir, mas ao invés disso, irei recomendar apenas para aqueles que são fãs da atriz australiana que causou furor em Hollywood tanto por seu talento e beleza, quanto pelo casamento tumultuado com Tom Cruise. Se existe um filme em que ela mostra todas suas qualidades e sensualidade, é aqui. Tanto que ela faz o personagem de Joaquin Phoenix de gato e sapato, sem ter o mínimo de esforço. Como não podia deixar de ser, a direção primordiosa de Gus Van Sant tira o melhor de cada ator. Se você nunca viu, não perca tempo!

Ficha Técnica:
Um Sonho Sem Limites (To Die For, 1995)
Dirigido: Gus Van Sant
Roteiro: Buck Henry
Genêro: Drama
Elenco: Nicole Kidman, Matt Dillon, Joaquin Phoenix
Trailer:

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.

Comentários