Destaques Listas

Top 5 – Melhores filmes de faroeste de 2016

1 Caipirinha2 Caipirinhas3 Caipirinhas4 Caipirinhas5 Caipirinhas 2 votos, média: 2,00
Loading...

QUENTIN TARANTINO TRATOU DE TRANSFORMAR O FAROESTE NUM GÊNERO POP. Depois de Django Livre (2013), o cineasta preparou Os Oito Odiados. Com o interesse crescente do público, não tardou para novas obras do gênero começarem a aparecer ao longo da temporada e pela primeira vez na história do Cinema de Buteco, nós decidimos lançar um ranking com os melhores filmes de faroeste de 2016. Confira:

5- Sete Homens e um Destino

“Reaproveitando clichês do gênero, Fuqua promove uma bem vinda modernização. A escolha de um vilão capitalista, por exemplo, se pretende uma crítica que pode ser atribuída ao candidato à presidência norte-americana Donald Trump. E deixa as coisas mais civilizadas, por assim dizer, longe daqueles capangas bigodudos de sombreiros da versão de 60. Ela, no entanto, costurava melhor a reunião dos sete, que funcionava de maneira menos afobada e acidental. Mas a cidadezinha de uma rua só está lá, assim como o duelo, a igreja, as tocaias no telhado e tudo o mais.

Juntando todos esses elementos a um roteiro com diálogos às vezes inexplicáveis, que são engraçados apenas para os personagens, temos um filme que fica bem na média, perigando cair. Para quem busca um bom faroeste e não viu a versão de John Sturges, fica a dica (está disponível no Netflix). Um elenco com Yul Brynner, Steve McQueen, Eli Wallach, Charles Bronson, James Coburn, Robert Vaughn e companhia continua imbatível.” (Marcelo Seabra, do blog O Pipoqueiro)

4- Em Busca da Justiça (Jane Got a Gun)

“Na premissa. Natalie Portman é Jane Hammon, apresentada em um momento delicado. Fora da lei, o seu marido Bill (Noah Emmerich) se envolveu em negócios escusos com Bishop, voltando ao seu lar baleado. Sem saber como agir e com uma filha pequena para proteger, Jane pede ajuda a Dan Frost (Joel Edgerton), um amor mal resolvido de seu passado que promete protegê-la dos capangas de Bishop – o brasileiro Rodrigo Santoro faz uma breve participação como um deles.” (Alex Gonçalves, do blog Cine Resenhas)

3- Os Oito Odiados (The Hateful Eight)

Em Os Oito Odiados, Tarantino volta a flertar com o velho oeste e também com o seu primeiro trabalho, Cães de Aluguel, lançado no começo dos anos 1990. A produção narra as desventuras de um grupo de oito homens obrigado a fazer uma parada numa cabana no meio de uma nevasca. Nenhum deles é flor que se cheire, especialmente John Ruth (Kurt Russell) e Major Marquis Warren (Samuel L. Jackson), dois caçadores de recompensas que se unem para não correrem riscos com os outros seis indivíduos.

2- Rastro de Maldade (Bone Tomahawk)

Vou ser sincero e dizer que estou trapaceando incluindo Rastro de Maldade na lista de faroeste, afinal a obra foi recomendada em nossos destaques de suspense no ano passado. No entanto, como se trata de uma produção fora de série, a repetição se justifica com a intenção de apresentar o filme para um número maior de pessoas.

“Escrito e dirigido pelo estreante em longas S. Craig Zahler, a trama acompanha quatro homens de uma cidade localizada na fronteira dos Estados Unidos que saem para salvar a mulher do aleijado fazendeiro Arthur O’Dwyer (Patrick Wilson) de um grupo de índios “trogloditas”. Entre eles, além do marido, temos o xerife Franklin Hunt (Kurt Russell), o pistoleiro engomadinho John Brooder (Matthew Fox) e o delegado suplente Chicory (Richard Jenkins), todos silenciosamente buscando tirar da missão uma prova subentendida de sua eficácia no mundo violento ao seu redor – e já muito bem estabelecido na violenta e crua sequência de abertura da obra.” (Pedro Strazza, do blog O Nerd Contra Ataca)

1– No Vale da Violência (In a Valley of Violence)

Dirigido por Ti West, um dos diretores que sempre aparece em nossas listas de melhores filmes de terror, No Vale da Violência mistura comédia, ação e o bom e velho faroeste numa trama que faz jus ao seu nome. A trama acompanha um forasteiro chegando numa cidade acompanhado da sua cachorra vira-lata. Ele acaba cruzando o caminho de um bando de fanfarrão e inicia uma jornada sangrenta.

Ethan Hawke é possivelmente uma das poucas pessoas que não tem muito o que reclamar de 2016. Além de estrelar Born to be Blue (cinebiografia de Chet Baker), o ator apareceu em diversos outros projetos, como o Sete Homens e um Destino, que também faz parte da nossa lista. No Vale da Violência é realmente uma de suas melhores atuações da carreira e mostra como Quentin Tarantino e seu Django Livre influenciaram nessa repaginação que o gênero vem recebendo. Filmaço!

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.