Review: Game of Thrones s06e10 - "The Wind of Winter"
Destaques Game of Thrones

Review: Game of Thrones s06e10 – “The Winds of Winter”

Sabe quando você recebe um monte de informação de uma vez e não consegue processar muito bem? A season finale de Game of Thrones passa mais ou menos essa sensação.

Primeiro temos a confirmação de muitas teorias faladas há tanto tempo na internet. Depois temos as surpresas e cenas emocionantes. Some a isso a angústia de saber que teremos que esperar um ano até descobrir as respostas para todas nossas dúvidas e responder os nossos anseios, e temos um resumo honesto de “The Winds of Winter”.

Comandado por Miguel Sapochnik (o mesmo responsável por “Battle of Bastards” e “Hardhome”), o episódio 10 já começa com um curioso paralelo com o que assistimos na semana passada: se boa parte das cenas do episódio 9 cortava a trilha sonora para aumentar a impressão sufocante pretendida, desta vez é ao contrário. A música é fundamental para criar o suspense e nos deixar ainda mais ansiosos com o que esta prestes a acontecer.

O destino de Cersei era previsível. A temporada inteira deu pistas sobre a intenção da vilã queimar a cidade toda para livrar o seu pescoço. Pelas inúmeras vezes em que o fogo-vivo foi citado, a expectativa era de uma destruição maior, o que teria sido frustrante, se não fosse pelas consequências diretas do ato de vingança de Cersei. Ela não mediu esforços para acabar com todos os seus desafetos, incluindo a rainha Margaery Tyrell. E essa morte foi inesperada. Afinal, os telespectadores estavam sedentos para conhecer o plano da bela rainha de Tommem e até quando ela fingiria ter sofrido essa lavagem cerebral para atender as graças do Alto Pardal.

Vamos ficar sem saber.

Aliás, vale apontar que mesmo deixando de lado a sua atuação e o tom manso, Margaery fracassou em convencer o Alto Pardal de que algo estava errado e todos deveriam deixar o local do julgamento. A arrogância do velho magricela da fé custou caro, assim como a sua expressão com o tom de Margaery foi uma mistura de frustração com conformismo. É como se ele esperasse o tempo inteiro para que ela se revelasse de verdade.

A morte da rainha e da turma de pardais fedorentos teve um efeito colateral inesperado para os Lannisters, mas que muitos fãs da série apostavam: Tommem, o rei pamonha, se sentiu frustrado, culpado e perdido demais para continuar vivendo e decidiu se jogar do alto de sua torre. Acredito que tenha sido um dos momentos mais inesperados de “The Winds of Winter”. O que acontecerá agora é que Cersei cumpriu a profecia que ouviu quando era jovem e se tornou uma rainha, mas irá perder o trono para uma mulher mais nova. Possivelmente, Danaerys Targaryen, que embarcou nos navios levados pelos irmãos GreyJoy e deverá chegar rapidamente em Westeros.

Aponto aqui mais uma vez algo desconfortável na série: a cronologia dela é extremamente confusa e impede o público de entender de verdade quanto tempo se passou de um acontecimento para o outro. Se isso não for um problema, bem, tivemos uma edição bem incompetente para “The Winds of Winter”. Como entender a presença de Varys como conspirador de Dorne numa reunião com a avó de Margaery e logo depois ver o eunuco careca à bordo das embarcações dos GreyJoy ao lado de Tyrion e Danaerys?

Problema mais grave ainda está na presença surpreendente de Arya Stark. Imaginei o tempo inteiro que toda a sequência não passasse de um sonho e isso teria mais lógica. Não apenas a pequena Stark reaparece inesperadamente para reiniciar a matança na sua lista de vingança, como ela surge usando o rosto de uma desconhecida. Ela roubou o Deus de Muitas Faces? É isso? Será que teremos mais histórias relacionadas aos chatos sem faces e/ou graça? De qualquer forma, foi A cena do episódio. Aquela parte em que você diz “WTF?” e logo raciocina que minutos antes, a mesma Arya estava tentando flertar com Jaiminho Lannister.

Com todas as surpresas e mortes,  Game of Thrones não seria capaz de deixar de lado o protagonista Jon Snow. Depois de exilar Melisandre por queimar a pequena Shireen Baratheon, ele convoca todos os clãs do Norte para avisar que a guerra ainda não acabou e em breve teremos confrontos contra os verdadeiros inimigos da série. Numa bela sequência, todos os líderes proclamam Jon Snow como o novo Rei do Norte, o que causa a fúria de Mindinho, que mais uma vez terá que esperar para ter a sua chance de colocar a bunda branca dele no trono de ferro.

O que essa temporada fez foi iniciar o jogo com todas as peças preparadas para o vale-tudo. Alianças foram estabelecidas: Danaerys terá o apoio da família GreyJoy e aparentemente da parceria entre Tyrell e Martell (basicamente, ela terá o melhor grupo de lutadores mesmo deixando Daario Naharis em Meereen); os Lannisters permanecem no poder; e não apenas Jon Snow foi eleito o novo Rei do Norte, quanto Arya e Bram estão próximos de tornar uma reunião Stark possível depois de tantos anos. Sapochnik, mais uma vez, surpreende com uma direção impecável e faz um trabalho eficiente em cima de um roteiro tão recheado de informações.

Bicho. Não sei nem o que dizer, exceto que lamento muito o fato de ter que esperar tanto tempo pela próxima temporada.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.