Review American Gods s01e02 - "The Secret of Spoons"
Destaques Séries e TV

Review American Gods s01e02 – “The Secret of Spoons”

american gods banner

American Gods é uma série meio fodida da cabeça. Neil Gaiman é um cara genial e tal, mas essa série é muito louca. Talvez seja por isso que estou gostando tanto e me desdobrando para fazer review dela paralelamente aos de The Leftovers e Fargo. Aqui o sistema é bruto e se eu ficar dois dias sem escrever, vou acabar confundindo nomes e escrever reviews tão loucos quanto o roteiro da série.

“The Secret of Spoons” começa, mais uma vez, com uma introdução que possui nenhuma conexão direta com os eventos principais. No caso, conhecemos o Deus Anansi (Orlando Jones) atendendo às preces de um grupo de escravos num navio negreiro. Com um discurso inflamado, Anansi antecipa a questão do racismo e do futuro dos negros. Ao incitar o ódio diante as injustiças cometidas pela sociedade, Anansi faz com que o navio seja queimado.

Achei doido. Toninho do Diabo curtiu isso.

review-american-gods-s01e02-838x471 Review American Gods s01e02 - "The Secret of Spoons"
Sabem aquela coisa que dizem quando você é traído? Você não precisa ver para saber que é uma bosta? Pois é. Shadow descobriu no episódio passado que a esposa morreu com a piroca de um amigo (também casado) dentro da sua garganta. Já era uma ideia dolorosa demais para um cara que acabou de sair da cadeia e acreditava estar prestes a ter uma vida ao lado da sua amada, mas consegue ficar pior. A droga da curiosidade nos faz cometer cagadas, como abrir o celular da pessoa e olhar seu histórico de mensagens. Eis que lá estava a prova grossa e dura do crime. Pior que imaginar a sua esposa chupando cacete alheio, é saber que ela engolia a versão branca do Kid Bengala.

Esse humor negro da série muito me agrada porque bate na ferida da insegurança, posse e ciúmes da maioria dos homens, sempre acostumados a serem retratados como os infiéis. A cena em que a foto de casamento de Shadow é substituída pela terceira perna do seu amigo é sensacional. A gente consegue sentir o ódio e frustração do personagem. Ajuda se você tiver passado por isso na sua vida. Exceto pela parte de ler secretamente conversa dos outros porque isso é sujeira. Viu?

Falando de coisa boa agora, fucking John Abruzzi está em American Gods. Peter Stormare interpretou o mafioso John Abruzzi nas duas únicas temporadas de Prison Break que tiveram a minha atenção e ficou marcado pelo personagem. Hoje, na pele do lenhador com martelo sangrento Czernobog, ele parece prestes a superar seu papel mais marcante na televisão.

Por fim, a deusa do sexo devoradora de pessoas atacou novamente nesse episódio. Parte de mim ficou imaginando que louco deve ser sugado de volta para o lugar onde tudo começou e passo a minha vida inteira tentando entrar, mas o pouco de sensatez que repousa na minha cabeça que pensa tirou esse pensamento impuro dos meus planos. Agora vimos um pouco mais dela, mas pouco ainda para ter uma noção exata do que ela planeja. Confesso que fiquei frustrado por descobrir que ela não devora as pessoas apenas por prazer. Enfim.

American Gods é uma série doida para pessoas que gostam de viajar sóbrias. Por isso mesmo, recomendo que você comece a ver urgentemente.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.