Review: Empire s02e02 - Without a Country | Cinema de Buteco
Séries e TV

Review: Empire s02e02 – Without a Country

Without-a-Country-review-Empire Review: Empire s02e02 - Without a Country

Na segunda semana de seu retorno, Empire nos apresentou um episódio bem mais lento, porém mais consistente se visto por uma ótica mais abrangente. Contrabalanceando entre a vida em “Oz”, e as negociações para a nova companhia de Cookie, a série conseguiu enraizar algumas de suas novas histórias, e nos dar uma leve idéia do que realmente será o grande arco da temporada. Pecados de continuidade continuam, existindo como o “muito barulho por nada”, onde o roteiro faz um rebú por alguma coisa, e no fim das contas não dá em nada, porém acho que devemos aceitar que isto faz parte da estética narrativa do show e não mudará.

Depois de serem expulsos da Empire, Cookie e Hakeem conseguem juntar os “Renegados” novamente, em uma dinâmica e divertida sequência ao celular, para começarem do zero uma nova companhia. Uma pérola que “Without a Country” nos presenteia, é exatamente podermos ver Cookie em sua zona de conforto, de volta as suas raízes, no povão, trabalhando novamente nos studios de Tyree, particularmente é a locação que mais curto da série. Bacana também é ver os meninos presenciarem todos o processo criativo de Cookie, que originalmente deu início ao grande império, e se por um momento acham o barraco alugado um absurdo, rapidamente entendem que a mãe é sim uma mulher de visão e apaixonada pelo que faz.

Hakeem finalmente ganhou um plot, e mesmo com toda a loucura dele tentando criar uma “girl band”, ví sim um esforço do menino tentando sair de sua zona de conforto e quebrar o estigma de menino mimado que o persegue. Só o fato dele não ter se juntado ao Andre, e batido o pé no chão que iria continuar com a mãe em sua nova gravadora, já mostra um grande avanço e redução da voluptuosidade do personagem. A relação dele com Danika parece não ter ido muito além daquilo, mas o menino se consolida como uma ponte entre a personagem e sua mãe e, querendo ou não, o defensor dela que será muito importante nessa nova fase sem Andre. A companhia precisa de pelo menos uma pessoa “pé no chão”.

Contudo, o grande mistério mesmo da temporada parece que irá girar em torno de Andre, tivemos mais uma pincelada para nos deixar intrigados sobre o delicado relacionamento do primogênito com o pai. Parece que Andre é o Jamal da segunda temporada, e os roteiristas irão apostar alto no personagem. Com uma criança à caminho vemos Andre e Rhonda muito mais vulneráveis e humildes, e pensando no futuro da criança que foi ruído devido aos últimos acontecimentos. Ao negar a proposta de Cookie, Andre se mantém fiel à sua essência, porém sem em momento algum destratar a sua mãe em seu novo comportamento. Na intrigante cena dele com o pai, temos também a introdução de Kelly Rowland como sua avó, e ar de que revelações estão por vir. Já estou bastante curioso, confesso.

Porém se no primeiro episódio as atenções ficaram divididas, nesse quem roubou mesmo a cena foi Lucious Lyon, com o seu novo single, lançado diretamente do xilindró. Que música boa hein! Se o episódio não tivesse mais nada, eu poderia dizer que já teria valido apenas por nos apresentar essa música. “Snitch Bitch” é grudenta, divertida, intensa e parece ter saído diretamente da mente de alguém que está passando pelo mesmo que o personagem. A forma como a cena foi gravada, a câmera girando, a maravilhosa empatia de Terrence Howard em cena, só fazem com que você queira dançar junto com Lucious e balançar a mãozinha ao som de “Snitch Bitch”.

A introdução de novos personagens dando suporte ao arco dos medicamentos de Lucious, também foi muito bem feita. Para compensar uma apática interpretação de Ludacris como o policial sem noção, tivemos Andre Royo sem dúvidas deixando a sua marca na série, na pele do interessante, caricato e no ponto novo advogado de Lucious. Tivemos também o fraco retorno de Tiana, e a sensual introdução de Becky G., parece que carne latina é um gosto de família.

No mais é isso, com a criação da “Lyon Dinasty”, os roteiristas não só dão o tom de rivalidade para a nova temporada de empire, como também abrem uma nova gama de arcos que podem ser desenvolvidos, com os castings de Cookie, introduzindo futuramente novos personagens á trama. Espero sinceramente que a criação da nova companhia não tenha sido mais um plot criado para morrer na praia, e que isso traga uma renovação bacana à série.

Jairo Borges