Séries e TV

Review: Scream Queens s01e05 – “Pumpkin Partch”

1 Caipirinha2 Caipirinhas3 Caipirinhas4 Caipirinhas5 Caipirinhas (dê a sua nota)
Loading...

https://youtu.be/3uVvG0d2tC8

As coisas não estão indo muito bem com Scream Queens. Primeiro porque a audiência nos EUA está caindo a cada episódio (ou seja, nesse ritmo, talvez não exista uma segunda temporada) e depois porque a Fox Brasil não trata os telespectadores da série com o devido respeito, já que anuncia um episódio e passa outro no lugar. E sem falar nos horários bizarros que o canal acha que temos que ficar acordados para assistir. Depois querem combater os downloads…

Engraçado a série receber tantas críticas do público, já que a cada episódio me divirto mais com o mundo surreal de Chanel e suas amigas/inimigas. “Pumpkin Partch” foi provavelmente o capítulo mais fraco até agora, mas ainda assim reservou as melhores referências aos cinéfilos fãs de horror: O Iluminado e Silêncio dos Inocentes são devidamente homenageados com situações que recriam algumas de suas principais cenas.

Para a festa de Halloween do campus, Chanel manda recriarem o labirinto de O Iluminado. Claro que não teria a mesma graça se alguém não morresse lá dentro e é exatamente isso que acontece, com direito a pose igual à de Jack Nicholson. E a referência de Silêncio dos Inocentes acontece de duas maneiras. A primeira com a música brega tocando e o assassino observando sua vítima num poço e a segunda com a visão noturna.

Mas o grande momento do quinto episódio ficou com a briga das Chanels: aparentemente, a personagem de Abigail Breslin é a culpada por John Bonham ter morrido e o Led Zeppelin acabado.

Com a revelação do final, a série começa a entrar num ritmo diferente em que os roteiristas precisarão se superar. Pelo que vi até agora, não acredito que grandes reviravoltas estejam entre as qualidades da divertida equipe criativa de Scream Queens. Se eu entendi bem, são três assassinos, certo?

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.