Três anos de CCBB em Belo Horizonte | Cinema de Buteco
Variedades

Três anos de CCBB em Belo Horizonte

Durante os três anos de atividade, o CCBBBH realizou importantes mostras de cinema, privilegiando produções locais e independentes, ao mesmo tempo que promoveu um intercâmbio com a produção audiovisual no mundo

O Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte (CCBBBH) oferece ao seu público uma gama de atrações e eventos em diversas áreas e linguagens artísticas. A pluralidade e a regularidade da programação oferecida, desde o início de suas atividades, consolidaram o espaço como um dos centros culturais mais relevantes da cidade, sendo referência no apoio e valorização das produções locais e não locais; e dos grandes nomes artísticos, sempre com qualidade e preços acessíveis. A programação da sétima arte reafirma esse objetivo, ao promover um panorama do cinema mundial e ao construir uma vitrine para a produção local e nacional independente, através de festivais e parcerias.

O contato permanente com Consulados e Embaixadas contribuiu para a realização de projetos internacionais. A 10ª Mostra do Mundo Árabe de Cinema, realizada pelo Instituto da Cultura Árabe (ICArabe), contou com exibição de filmes da cultura árabe, debate e apresentação musical. Referência como evento cinematográfico, a Mostra Mundo Árabe de Cinema consagrou-se em 2015 como evento internacional, aproximando o público da produção cinematográfica do mundo árabe e de outros países que abordam a temática árabe, como produções europeias e latinas. A Mostra vem, ano a ano, contribuindo para dialogar com a sociedade brasileira e mostrar uma parte considerável da cultura árabe para esse público.

O cinema independente teve um ótimo alcance no CCBBBH. A Mostra do Filme Livre, em sua 15ª edição, exibiu mais de 200 filmes de vários formatos, gêneros e durações, todos com entrada gratuita, reunindo um público de 3.704 pessoas. A Mostra do Filme Livre completou 15 anos em 2016 e, pela segunda vez, integrou a grade de programação do CCBB Belo Horizonte, trazendo filmes independentes de todos os formatos, gêneros e durações. A mostra já havia sido um sucesso, em sua primeira passagem pelo CCBBBH, em 2015, quando reuniu um público de 4.562 pessoas. Sob a curadoria de Guilherme Whitaker, o trabalho de seleção dos filmes foi realizado depois de uma imersão na cena autoral. Nesta edição, ela recebeu 1.300 inscrições de várias partes do país e exibiu cerca de 200 filmes, muitos tendo a MFL como sua única exibidora.

O festival, que promove uma diversidade grande de obras, trouxe, ainda, sessões temáticas e a mostrinha infantil. Na MFL, houve também uma janela para os filmes locais, que destacaram a produção cinematográfica de Minas Gerais. Apesar de ser uma mostra nacional, a novidade da edição ficou por conta da exibição de filmes de outros países, na sessão intitulada “Panaméricas Latinas”.

Na mostra, alguns cineastas, pela importância que têm, foram homenageados. Um dos destaques foi o diretor de cinema gaúcho Cristiano Burlan, que possui uma filmografia extensa, entre trabalhos ficcionais e documentários. Além dele, nomes como Pedro Dantas, Louise Botkay, e realizadores já homenageados em outras edições, como é o caso de Helena Ignez, Dellani Lima e Petrus Cariri, integram o festival que coloca em evidência a potência do cinema brasileiro.

E não perca:

De 22 de setembro a 25 de setembro teremos a segunda edição do Festival Musimagem comprovando o sucesso do evento anterior. Debates, palestras, workshops fazem parte da programação, que incluirá o compositor francês Bruno Coulais (trilha sonora da animação Coraline) e a Orquestra Ouro Preto. Tudo ao vivo. 

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.