CLÍMAX: Conheça os brinquedos eróticos que vão desbancar um bilhão de maridos

chuck palahniukVocê já deve ter ouvido falar de Chuck Palahniuk pela sua obra de maior sucesso, “Clube da Luta”, mas hoje falaremos do seu mais recente e polêmico livro: Clímax. Em Clímax (Beautiful You), Palahniuk nos apresenta um universo afiado do feminismo, do prazer sexual e do apocalipse do marketing em uma nova narrativa sobre as psiques desconjuntadas de homens e mulheres contemporâneos.

Depois de ler a saga Crepúsculo e o romance sadomasoquista 50 Tons de Cinza, Palahniuk nos trouxe todo o seu sarcasmo, polêmica e frieza de forma inteligente para criticar “o fogo no rabo” que tais obras causavam em tantas mulheres.

Assim nasce Clímax. A divertida obra narra a vida da boba e fracassada Penny Harriran, uma aluna recém-formada em Direito, interiorana que está tentando a vida em Nova York, até que um dia tropeça aos pés do milionário Cornelius Linus Maxwell (acrônimo dos nomes e sobrenomes forma “CLIMAX”, dando o título ao livro em português). Após alguns encontros com Max, a inocente Penny (ou Cinderela do nerd) descobre que na verdade é uma espécie de cobaia ao invés de namorada.

“Penny se incomodava com o fato de que, apesar das vitórias do feminismo, conquistadas a duras penas ser uma advogada otimista e ambiciosa não parecia um feito tão triunfal. Não mais. Parecia algo tão audaz quanto ser dona de casa nos anos 1950.”

“Com desculpas a Simone de Beauvoir, Penny não queria ser a terceira geração de nada. Sem ofender Bella Abzug, ela não queria ser uma pós-nada. […] Queria poder fazer outras escolhas além de ser dona de casa ou advogada. Santa ou puta. Uma opção que não estivesse atolada no que restara de um sonho da era vitoriana. Penny queria algo muito mais radical que o feminismo!”

Com o desenrolar do relacionamento, Penny descobre que o excêntrico milionário está investindo na indústria de sex toys para mulheres do mundo todo. Porém, os brinquedinhos eróticos acabam viciando e deixando as mulheres em um estado que lembram zumbis. Sim, este comportamento estava previsto pelo milionário nerd e malvado: dominar as mulheres (e o mundo) por meio do controle do prazer e da mente feminina.

“Penny perguntou: – Por que “Beautiful You”? Maxwell deu de ombros. – “Os criativos” do marketing disseram que esse nome teve o melhor resultado nos testes. E é fácil de ser entendido em qualquer lugar. Jovem ou idosa. Gorda ou baixinha. Bilhões de mulheres aprenderiam a amar seus corpos. Beautiful You seria uma benção para toda a humanidade feminina.”

A distopia criada por Palahniuk mostra como vivemos na era do marketing controlador e que nós consumidores somos os verdadeiros lixos do mundo, perdendo toda a nossa identidade para nos encaixarmos nos padrões estabelecidos pelo mercado. O autor também nos mostra que a posição do homem é de dominar a mulher e o mundo, nos levando a refletir o poder social dentro de um membro familiar. Clímax entrou na nossa lista de melhores livros lançados em 2015 não apenas pela divertida paródia de 50 Tons de Cinza e Crepúsculo, mas principalmente pelo tapa de luva que o autor nos dá quando menos estamos esperando.

Climax (1)

Ficha Técnica:

Título: Clímax

Autor: Chuck Palahniuk

Editora: Leya

Ano: 2015

Especificações: Brochura | 224 páginas

ISBN: 978-85-4410-263-3

Felipe Borba

Nasceu no Pará, cresceu no Maranhão e vive em Minas Gerais. Além de se considerar um explorador da natureza; Felipe é publicitário com especialização em Marketing Estratégico, é viciado em novas tecnologias, queria ser adotado pelo Neil Gaiman e tem mais livros do que dá conta de ler.