Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Livros que queremos ler em 2018

O mercado editorial é bem diferente do mundo da música ou do cinema. Ao contrário dos festivais que antecipam as bandas e os festivais que antecipam os filmes, a gente não tem muita chance de adivinhar os livros que serão lançados. Por isso mesmo, selecionei cinco opções que quero muito ler em 2018.

Entre nessa brincadeira comigo e deixe seus desejos nos comentários. Quem sabe você não viaja tanto ou mais do que eu?

Adjustment Day: A Novel, de Chuck Palahniuk

- Advertisement -

Quatro anos depois de lançar seu último livro, que eu não li, diga-se de passagem, Chuck Palahniuk retorna prometendo fazer o que sabe fazer de melhor: humor negro, politicamente incorreto, críticas ao consumismo, e qualquer coisa bizarra que só poderia sair da cabeça dele. Imperdível? Sim ou óbvio?

Lançamento previsto para maio nos EUA. Sem data no Brasil.

Someday, de David Levithan

Mais conhecido por seu trabalho como co-autor em Will Grayson, Will Grayson, dividindo os créditos com John Green, Levithan irá concluir a série iniciada em Every Day sobre um garoto que vive num corpo novo todos os dias e seu romance com uma garota.

Sem previsão de lançamento no Brasil.

The Winds of Winter, de George R. R. Martin

Diz a lenda que 2018 é o ano em que Martin finalmente publicará o aguardado sexto livro da saga Game of Thrones. Enquanto a série caminha para o seu final antecipando a história original, os fãs ficam putos da vida inventando motivos para crucificar a HBO por ter seguido rumos que abalaram o nível da obra.

Se sair em 2018, as pessoas serão mais felizes e não discutirão tanto sobre política.

The-Winds-of-Winter-book-cover

Kazuo Ishiguro vai aproveitar a badalação do prêmio Nobel?

Aos 63 anos de idade, o autor recebeu em 2017 o prêmio Nobel de Literatura. Seria uma bela surpresa se ele decidisse anunciar o sucessor do fantástico O Gigante Enterrado, mas não temos tanta sorte assim, não é mesmo? Como sonhar nesse caso é desperdício de neurônios, irei aproveitar o ano que vem para ler Vestígios do Dia, que não li até hoje.

Kazuo-Ishiguro

Markus Zusak vai parar de enrolar?

Os fãs de George Martin certamente estão no seu direito de reclamar da demora pelo sexto livro de Game of Thrones, mas eles não sabem o que é ser um adolescente e se apaixonar pelo trabalho de um autor que nos últimos dez anos apenas nos enrolou com suas promessas.

O australiano Markus Zusak se prova cada vez mais como um daqueles caras que atingem o auge e depois sofrem por não conseguirem escrever nada remotamente parecido com suas obras de sucesso, como Eu Sou o Mensageiro ou A Menina Que Roubava Livros.

Esperança é a última que morre, né? Vai que…

Markus Zusak

Comentários