Resenha: Noites Brancas – Dostoiévski

“Sou filho da descrença e da dúvida, até ao presente e mesmo até à sepultura. Que terrível sofrimento me causou, e me causa ainda, a sede de crer, tanto mais forte na minha alma quanto maior é o número de argumentos contrários que em mim existe! Nada há de mais belo, de mais profundo, de mais perfeito do que Cristo. Não só não há nada, mas nem sequer pode haver” – Dostóievski

Vasily_Perov_-_Портрет_Ф.М.Достоевского_-_Google_Art_Project

Dostóievski é um escritor genial. Seus textos (pelo menos alguns deles) são praticamente tratados filosóficos, tanto que para alguns, ele é o fundador do Existencialismo. Foi influenciado por outros grandes artistas, como Goethe, Edgar Allann Poe, Balzac e Miguel de Cervantes. Não há dúvida de que seja um dos artistas mais brilhantes da história da literatura mundial.

Noites Brancas é uma das obras mais marcantes que o autor produziu. Nas primeiras páginas, o leitor pensa que vai se deparar com uma história de amor, como as muitas outras que conhecemos. Mas é claro que isso é um equívoco, pois estamos falando de Dostóievski, e este perspicaz escritor não ilustra aquilo que está no senso comum. Muito pelo contrário, ele busca sempre enxergar aquilo que está além do habitual (por isso mesmo é filosófico).

Portanto, prosseguindo a leitura, verás que o que parecia ser uma simples historinha romântica que terminaria com um casal subindo as ruas de mãos dadas, torna-se uma intrínseca descrição da obscuridade de um relacionamento, que é descrita através de um minucioso retrato das emoções humanas.

É um conto honesto e grandioso, por descrever uma situação que nos costuma ser familiar. E esta situação não tem um final tão feliz – pois a vida nem sempre é somente luz -. Se você pretende iniciar uma aventura pelas obras deste grande escritor, fica aqui uma dica do caminho pelo qual você pode começar. E deixo também como sugestão, a adaptação cinematográfica do livro, “Le Notti Bianche”, dirigida pelo italiano Luchino Visconti, com os astros Marcello Mastroianni e Maria Schell no elenco principal.

Confira a sinopse da obra: 

Durante uma das maravilhosas ‘noites brancas’ do verão de São Petersburgo, em que o sol praticamente não se põe, dois jovens se encontram numa ponte sobre o rio Nievá, dando início a uma história carregada de fantasia, emoção e lirismo. Nesta novela singular, publicada em 1848, Dostoiévski constrói uma atmosfera delicada e fantasmagórica, que evoca o gosto romântico da época. Nela, a própria cidade de São Petersburgo – com seus palácios e pontes, seus espaços monumentais – revela-se como personagem.

Ficha Técnica noites brancas

Título | Noites Brancas

Autor | Fiodor Dostoievski

Editora | Editora 34

Idioma | Português

ISBN |  8573263350

Especificações | 96 páginas

 

Juliana Vannucchi