Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Resenha: O Homem Que Caiu na Terra

A maioria dos homens vivem um desespero silencioso.

Se você é fã de David Bowie com certeza já está sabendo do livro O Homem Que Caiu na Terra, lançado pela DarksideBooks no final de 2016. A obra foi lançada originalmente em 1963 e foi adaptada para o cinema em 1976 pelo diretor Nicolas Roeg e estrelado por David Bowie.

Muito além de narrar a história de um alienígena que vem à Terra com o objetivo de salvar o que restou de sua espécie, O Homem Que Caiu na Terra influenciou Bowie a criar uma nova persona, o Thin White Duke, para seu disco “Station to Station”, de 1976 (o décimo em sua carreira). Além do visual, o cantor também se apropriou de elementos musicais como o krautrock, com muitos sintetizadores e a arte da capa que foi influenciada pelo filme.

- Advertisement -

Era sobre essa classe-média repleta de comodidades e de roupas caras que quase todos os programas falavam, para que alguém de fora facilmente tivesse a noção de que todos os norte-americanos eram jovens, bronzeados, objetivos e ambiciosos.

Confira nossa homenagem a David Bowie clicando aqui.

A obra escrita por Walter Tevis é totalmente diferente das ficções científicas que estamos acostumados a ler ou a assistir no cinema. Afinal, nesta obra não temos aliens invadindo o planeta terra e humanos em desespero pela sobrevivência. Esta é uma obra que adota uma linha reflexiva e um tanto filosófica, abordando temas acerca da fragilidade humana.  O Homem Que Caiu na Terra conta a história de um alien que adota o nome de Thomas Jerome Newton e chega no planeta Terra na década de 1980. Ao chegar na Terra, as intenções de Newton não são tão claras. A única coisa que sabemos é que ele precisa ficar milionário o mais rápido possível. Dessa forma, ele começa vendendo anéis de pedras preciosas que trouxe de sua viagem para poder se alimentar e alojar. Com a ajuda do advogado Farnsworth e sua empregada Betty Jo, Newton consegue colocar seu plano em ação: construir uma nave espacial para trazer o povo remanescente do seu próprio planeta (Anthea), que sucumbiu às guerras e teve praticamente todos os recursos naturais extintos.

Olhou para si mesmo por muito tempo, até que começou a chorar. Não soluçava, mas as lágrimas rolavam de seus olhos – lágrimas iguais às dos humanos – e desciam pelas bochechas estreitas. Chorava em desespero. Então perguntou a si mesmo em inglês e em voz alta: “Quem é você? E a que lugar pertence?” Seu próprio corpo o olhou de volta, mas ele não conseguia reconhecê-lo como seu. Era estranho e assustador.

Confira as 5 melhores participações de David Bowie no cinema clicando aqui.

Mesmo sendo escolhido por ter uma excelente condição física e se preparar por 10 anos para cumprir sua missão na Terra, Newton sofre com as adversidades, tais como a gravidade, a temperatura e tudo que implica seu corpo frágil. Para passar por um ser humano, Newton precisa disfarçar partes do seu corpo como olhos e unhas, mas seu jeito excêntrico ainda sim chama atenção. Ele, que é um antheano (raça alienígena muito mais evoluída que os seres humanos) sofre ao entrar na solidão, nos vícios que já estamos acostumados, como o álcool, e principalmente, no vazio existencial. Mostrando que somos muito mais complexos do que imaginamos.

Era humano, mas não exatamente um homem. Também como os homens, era suscetível ao amor, medo, a dores intensas e à autopiedade.

Sem dúvida alguma, esta é uma das minhas edições favoritas lançadas pela DarksideBooks. Não sei se é pelo fato de ser fã do Bowie ou pelo capricho na diagramação, nas bordas alaranjadas ou pela marca página com o rosto do camaleão. Para comprar a sua edição, clique aqui.

FILME:

Possivelmente o mais marcante dos filmes de Bowie. Em O Homem Que Caiu Na Terra, o camaleão do Rock, que estava cada vez mais popular no período de lançamento desse longa, mostrou que realmente tinha talento para o cinema. Na sinopse do filme, vemos um alienígena que vem á Terra e se infiltra entre os seres humanos para encontrar água para o seu planeta natal. Curiosamente, o roqueiro que interpretou o extraterrestre na história, mais ou menos na mesma época dessa produção, deu vida a um extraterrestre chamado Ziggy Stardust, personagem que o músico encarnou e levou para os palcos, e com o qual fez imenso sucesso no meio musical. (Por: Juliana Vannucchi)

E o que sou eu, pensou, senão um hedonista assustado e com pena de mim mesmo?

FICHA TÉCNICA

Título | O Homem que Caiu na Terra

Autor | Walter Tevis

Tradutora | Taissa Reis

Editora | DarkSide®

Edição | 1a

Idioma | Português

Especificações | 224 páginas, Limited Edition (capa dura)

Compre clicando aqui.

Comentários