Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Resenha: Sonata em Punk Rock – Babi Dewet

Sinopse: Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos. No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar.

Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.

Sonata em Punk Rock foi escrito por uma moça jovem (bem mais jovem que eu – risos) e que começou a carreira literária escrevendo fanfics. Com ele, Babi Dewet (a pronúncia é “Dúeti”, com direito a biquinho) provavelmente conseguirá o que poucos escritores de literatura infanto-juvenil conseguem atualmente: prender a atenção desse público com um livro de qualidade.

- Advertisement -

Abordando assuntos como sororidade, machismo, homofobia e preconceito racial, a autora narra uma história que é muito próxima da realidade, onde, com exceção de “Kim”, todos os personagens possuem nomes em português e todos os acontecimentos ocorrem em uma escola de música no Rio de Janeiro-RJ. Além disso, as referências que Babi Dewet utiliza são muito atuais: Harry Potter, Cartoon Network, Laboratório de Dexter, Dexter… em minha opinião, o uso dessas referências tão atuais, faz com que o jovem leitor acabe se identificando ainda mais com a história apresentada no livro.

Dando uma olhada nas redes sociais da autora, não é difícil notar seu excelente gosto musical, que passa por The Beatles, Radiohead, Green Day, Guns N’ Roses, Sex Pistols… E adivinhe: Ela conseguiu inserir essas referências no livro! O que é muito bacana, pois o jovem leitor que ainda não teve interesse para conhecer esse tipo de música, pode se interessar enquanto lê o livro (ou depois que o ler)! Cada capítulo tem como título o nome de uma música, o que sugere a criação de uma playlist maravilhosa.

Sonata em punk rock é um livro sobre respeito, amor, e principalmente a importância da amizade e dos sonhos! Um livro que não precisou de Ghost Writer* para ser escrito e publicado, tampouco se valeu de números de acessos em redes sociais.  Acredito que esse livro seja muito importante para a literatura juvenil. Calma! Não o estou comparando com Coleção Vaga-Lume, Pedro Bandeira… o que quero dizer, é que atualmente, é muito penoso fazer com que jovens se interessem por livros que tenham conteúdo realmente útil; e o Sonata em punk rock pode sim ajudar mudar essa situação.

Tenho trabalhado em inúmeros eventos literários que são realizados em escolas, e posso afirmar que as escolhas dos títulos que os alunos fazem dão muita tristeza. Por isso, acredito que esse livro da Babi Dewet veio para ajudar fazer a diferença!  É um pouco difícil, eu sei! Mas que tal dar uma chance para uma autora e obra (ainda) não consagradas? No mínimo, um pouco mais de amor seu adolescente absorverá!

*Ghost Writer: pessoa que prepara ou escreve anonimamente uma obra literária, artística, científica ou política encomendada por quem, passando por autor, a assina.

 

Ficha Técnica

1386-20160804093023Título: Sonata em Punk Rock

Autor: Babi Dewet

Editora: Gutenberg
Páginas: 304
Gênero: Literatura infanto juveni
ISBN: 978-85-8235-389-9

Colaboração: Ludymilla Duarte Borges

 

Comentários