Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Top 5 – Os melhores livros lançados em 2017

O ano de 2017 foi bastante intenso para a literatura mundial, com títulos de diversos segmentos ficando em evidência. Por aqui, selecionamos algumas histórias que fizeram a diferença para a gente e que recomendamos de coração, porque certamente vai mudar algo nos leitores.

Menção honrosa:

Contos de Horror do Século XIX

- Advertisement -

(vários autores, Companhia das Letras)


Coletânea organizada pelo argentino Alberto Manguel, Contos de Horror do Século XIX reúne 33 histórias assustadoras de diferentes autores. Alguns deles são velhos conhecidos dos fãs do gênero, como Edgar Allan Poe e Bram Stoker, outros nem tanto, mas todos eles conseguem transportar o leitor para um outro universo através de suas histórias capazes de transmitir um medo mais genuíno.  Arthur Conan Doyle, Henry James e HG Wells também fazem parte da coletânea.


5) A Guerra que Salvou Minha Vida

(Kimberly Bradley, DarkSide Books)


Quando a vida de uma pessoa é tão ruim, ao ponto de uma guerra ser uma oportunidade de melhorias, podermos perceber que as coisas realmente não vão nada bem para essa pessoa. Em A Guerra que Salvou Minha Vida, conhecemos a pequena Ada, uma garotinha que vive em Londres e é constantemente maltratada pela mãe por ter um pé torto. Ela não pode nem mesmo sair de casa e é, diariamente, “lembrada” de que não é nada.
Com a II Guerra Mundial, as crianças são enviadas a um vilarejo, mas Ada não recebe autorização da mãe para ir embora. É quando a garota resolve pôr um fim à vida de maus-tratos diários e foge com o irmão. Não será fácil, porém, se adequar à uma vida onde o respeito vem em primeiro lugar. As duas crianças ficam sob os cuidados de uma senhora que não estava preparada para a situação, mas, juntos, os três vão aprender a ter uma convivência muito melhor do que poderiam imaginar encontrar diante de guerra.


4) Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes

(Helena Favilli e Francesca Cavallo, V&R Editoras)


Com a igualdade de gênero sendo discutida diariamente, algumas obras com o intuito de incentivar o conhecimento de personalidades femininas importante estão em alta. Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes apresenta, de maneira sucinta, a vida de 100 grandes mulheres de diversas
nacionalidades e áreas de atuação. Hillary Clinton, Irena Sendlerowa, Cora Coralina, Frida Kahlo e Marie Curie são algumas das mulheres retratadas no livro, que conta com belas ilustrações feitas por 60 mulheres de diferentes partes do mundo.


3) Tartarugas Até Lá Embaixo

(John Green, Intrínseca)


Se perguntarem se Tartarugas Até Lá Embaixo é o meu livro jovem favorito do John Green, responderei que ele ainda não superou Quem é Você, Alaska?. Mas se a pergunta for “o livro é bom?”, direi que Green realizou o seu trabalho mais maduro e consciente, sem que isso afetasse seu estilo pessoal e maneira de se comunicar com o público criando personagens que soam como velhos amigos do leitor.
É uma obra jovem, divertida e com momentos dolorosos em que Green se coloca na linha de fogo e fica mais exposto do que nunca para tentar ajudar outras pessoas que também sofrem com transtorno compulsivo obsessivo. Belo livro! (Tullio Dias)


2) O Coletor de Espíritos

(Raphael Draccon, Fantástica Rocco)


Em Véu-Vale, vilarejo ignorado por muitos que não o conhecem bem, o medo impera quando há chuva em abundância, principalmente no terceiro dia consecutivo. Acompanhamos a história de um homem bem-sucedido profissionalmente e que alega adorar a sua vida, mas que volta ao lugar onde cresceu para se encontrar e desvendar alguns mistérios que permeiam a sua mente.
Passado no mesmo universo que Fios de Prata, O Coletor de Espíritos instiga o leitor desde o começo e junta suas peças aos poucos. A escrita eficiente de Raphael Draccon permite que a leitura flua muito facilmente, o que torna este um daqueles livros em que a gente lê rapidinho. É uma mistura de sobrenatural com espiritual que não permite uma leitura pela metade e confirma Draccon como um dos maiores e mais influentes nomes da literatura nacional da atualidade.
O livro foi lançado, no primeiro momento, somente em e-book. No final do livro, o autor explica que o valor atingido com as vendas do e-book foi para o GRAACC, com o intuito de ajudar no tratamento do câncer infantil.


1) Heroínas Negras Brasileiras

(Jarid Arraes, Pólen)


Dandara dos Palmares, Eva Maria do Bonsucesso, Maria Firmina dos Reis… São muitas as mulheres negras que tiveram suas histórias apagadas ao longo do tempo, mas agora a escritora Jarid Arraes conta 15 dessas histórias no seu segundo livro, Heroínas Negras Brasileiras em 15 Cordéis. O livro ilustrado por Gabriela Pires resgata um gênero marginalizado, o cordel, enquanto revela nomes de brasileiras ofuscadas por muitos anos. Enquanto conhecemos diversos nomes masculinos que fazem parte da história brasileira, é necessário muita pesquisa e dedicação de uma jovem escritora para que os nomes destas mulheres sem tornem também conhecidos.

Em uma sociedade que quase não incentiva a leitura e trata seus autores com desdém, o trabalho de Jarid Arraes é um ato de resistência e sinal da luta diária para o reconhecimento daquelas mulheres que o merecem.

Comentários