Batman: o começo do retorno do Cavaleiro das Trevas que ressurge eternamente com ou sem Robin!

por Wendel

A DC NUNCA FOI MUITO FELIZ EM SUAS ADAPTAÇÕES de HQs para cinemas. Os mais promissores são odiados pelos fãs e, nas melhores chances, as histórias foram avacalhadas. Até o ano de 1989, a única coisa que poderíamos ver sobre o Batman além dos quadrinhos, era aquela série clássica tosca que virou um filme tosco em 1966, rendeu uma coisa muito boa: A Feira da Fruta! Um clássico da redublagem!

Mas o que importa é que em 1989, graças ao Tim Burton, saía nas telonas o primeiro longa digno do homem-morcego: Batman. Ok, não era a 8ª maravilha do mundo, mas o filme não decepciona. Gothan sombria, do jeito que muita gente imaginou, um batman humano que mais parece um cara qualquer numa roupa bacana, um batmóvel digno e uma batcaverna do caralho (tirando os aparatos tecnológicas da década de 80). O único problema seria a maldição eterna. O vilão. Well, he put on a happy face on everyone! 😛 Bom, pelo menos o roteiro foi bem amarrado e, tirando o fato de não explicar praticamente nada “pré-Batman”, desempenhou um bom papel.

3 anos mais tarde, Burton nos brindaria com uma boa seqüência: Batman – o Retorno. Gothan com seu mesmo ar sombrio e cinza, Bruce Wayne no mesmo esquema 2 de paus sem sal, mas satisfatório, e mais uma vez o filme é salvo pelos vilões. Um Pinguim de dar arrepios e uma Mulher-Gato de tirar o fôlego! Roteiro meio meh, mas se soubéssemos o que estava por vir, todos fariam um manifesto pra que o Burton continuasse na franquia.

Mas não aconteceu isso. Depois de reprovar o novo roteiro, Burton decidiu pular fora e ficar na produção. Com a mudança de diretor, Keaton meteu o pé. E então, Joel Schumacher chama o Val Kilmer e temos o horroroso Batman Eternamente. Na primeira cena, já temos um combo que antecede a sensação de que você está vendo o filme errado. Uma Gothan tão colorida e com uma estátua da Liberdade (?!), um Batman mais bundão que o anterior, um vilão que parece qualquer porcaria, menos o Duas Caras, um batmóvel que parece ter passado pelo Pimp My Ride ou Lata Velha, além é claro, dos Bat-mamilos! Porque diabos foram inventar de pôr mamilos no traje?? MAMILOS! Um assunto muito polêmico! Curiosamente, o filme fez sucesso. Justamente por ser mais fácil para crianças assistirem. Infelizmente, deram carta branca para uma continuação, sem trocar o diretor.

Esperto foi o Tim Burton, se desvinculou totalmente. Val Kilmer tinha outros projetos, então chamaram o George Clooney. Assim sendo, em 1997, saiu o filme Gaiola das Loucas! Opa, foi mal! Batman & Robin. Obg pelo quote Paio/TT! Seriously, qual o problema do Schumacher? Close em bundas, vilões que mais parecem ter saído de uma comédia pastelão e um roteiro todo torto! Além da volta do Robin e uma Bat-Girl dos mamilos super excitados! Fracasso e totalmente dispensável. Nem vale acrescentar mais nada.

Foram precisos 8 anos pra alguém se aventurar a levar o morcego pras telas. Então Christopher Nolan no auge dos seus 30 e poucos anos, fez um milagre. E assim nasceu Batman Begins. Diferente dos anteriores, foi baseado na série Dark Knight de Frank Miller. Como o nome já sugere, conta as origens do homem-morcego, tipo de coisa que é muito bem recebida pelo público. Um vilão meio meh, mas que cumpriu seu papel e assim, todos puderam ver minuciosamente como Bruce Wayne se tornou o Batman. Arrisco a dizer que foi mais bem recebido que o filme de 1989. O elenco obviamente era arrebatador. Mas tinha muito o que melhorar. Afinal, apesar de tudo, foi meio parado. Ou será que não?

Depois de um final pra lá de instigante, Nolan fez o que todos queriam: lançou O Cavaleiro das Trevas onde o vilão seria o Coringa e com uma possível participação do Harvey Duas Caras. Quem duvidou que seria bom, pagou com a língua. Heath Ledger fez um Coringa de fazer Nicholson aceitar que o Coringa dele estava ultrapassado, além de ter garantido um Oscar, mesmo que póstumo, pelo seu papel. O roteiro perfeitamente amarrado deixou muita gente acreditando que seria este o melhor filme de super-heróis de todos os tempos. Em suas quase 2h30m o filme te prende e te deixa tenso. Provavelmente a DC deve ter pago todo o prejuízo dos fracassos anteriores. Arrisco dizer que até então, nenhum filme de super-herói foi tão bem feito, em todos os detalhes.

Depois de algumas especulações, foi anunciada a seqüência e, hoje às 23:59h, estréia O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Mas nós do CdB já conferimos e, é sensacional! 8 anos após o incidente no filme anterior, Gothan está em paz e o Batman aposentado, até que ele é forçado a voltar. Não, Bane ou Mulher-Gato nunca serão tão bons como o Coringa de Ledger, mas ambos estão sensacionais em seus papéis. Bale mostra neste filme que ele realmente foi a melhor indicação para viver o homem-morcego e pela primeira vez vemos Alfred não só como o mordomo, mas a pessoa que criou quem viria a se tornar um dos maiores heróis “sem super poderes” dos quadrinhos. Se você é fã, terá múltiplos orgasmos no filme e, se não é fã, vai virar, pode ter certeza! No mais, só o que posso dizer é: ASSISTA! Veja Batman cair e ressurgir e quando estiver numa mesa de buteco, brinde ao Nolan por essa obra-prima! BTW, pra quem ainda está cético e com receios, a Anne Hathaway não decepciona como Mulher-Gato! Ah, e preparem-se para (MUITAS) surpresas 😉

 

Wendel

Wendel Wonka largou o curso de Letras Port/Inglês na UERJ pra trabalhar como Técnico Telecom na Oi. O hobbie de DJ acabou virando profissão alternativa e às vezes ganha um trocado com isso. No meio disso tudo, faz resenhas críticas (ou não) e revisão de texto no CdB. Ah, também está tentando o vestibular de novo, só que pra ADM. Faz parte do site desde a sua formação Beta e integra a ala carioca do Buteco (e queria colocar uma foto na horizontal).