Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Melhores cenas finais com música – Parte II

Na segunda parte do nosso especial com melhores cenas finais com música do cinema, a Dani Pacheco fala de mais 10 produções. Leia a primeira parte aqui.

Melhores cenas finais com música do cinema efeito borboleta

ps: Esse artigo possui comentários sobre o que acontece no final dos seguintes filmes: O Peso de Um Passado, Velozes e Furiosos 7, Trainspotting, Amor ou Consequência, Um Beijo Roubado, Entrevista com o Vampiro, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge, Curtindo a Vida Adoidado, Efeito Borboleta e Simplesmente Amor. Caso não tenha assistido a nenhum dos filmes, pense bem antes de prosseguir a leitura!

- Advertisement -

10 – “Fire And Rain” – James Taylor, em O Peso de um Passado

Vamos de River Phoenix em um papel que lhe deu uma indicação ao Oscar em 1989. A canção de Taylor é tocada duas vezes no drama de Sidney Lumet e ambas são emocionantes. Na primeira, vemos a família protagonista cantá-la em um encontro feliz, enquanto na última, já no desfecho, acompanhamos ela de fundo quando o pai (Judd Hirsch) toma uma decisão que muda a vida de todos à sua volta, principalmente a de seu filho. Já estou chorando aqui.


9- “See You Again” – Wiz Khalifa e Charlie Puth, em Velozes e Furiosos 7

Lágrimas e mais lágrimas. A morte trágica de Paul Walker surpreendeu todo mundo no fim de 2013 e deixou a família Velozes e Furiosos 7 em hiato até que o estúdio e roteiristas resolvessem o que fazer com O’Conner. Felizmente, a decisão tomada por eles não poderia ter sido melhor. Deram o fim perfeito à participação do personagem e com a canção ideal em sua última cena na franquia: uma letra que faz uma despedida com todas as homenagens possíveis a um ator que vai deixar saudades não só por seu talento, mas carisma. Lembre de pegar os lenços!


8- “Born Slippy” – Underworld, em Trainspotting

Trainspotting é um dos filmes mais bizarros e geniais que já vi. Esqueça que Danny Boyle fez o péssimo A Praia e lembre de como ele e Ewan McGregor fizeram dessa adaptação uma das mais marcantes do cinema. Ainda estamos esperando a continuação, mas, enquanto a aguardamos, veja novamente o minuto final desse clássico, ao som de um outro clássico, só que da música. Quem nunca já bateu cabelo ouvindo “Born Slippy”? Se nunca, faça-o!


7- “La Vie En Rose” – Louis Armstrong, em Amor ou Consequência

amor ou consequencia melhores finais

Quando que um romance funciona? Quando o expectador assiste e quer que o casal protagonista fique junto de qualquer jeito. É isso o que acontece em Amor Ou Consequência, uma das histórias de amor mais trágicas, emocionantes e fofas do cinema. Acompanhar o relacionamento de Julien (Guillaume Canet) e Sophie (Marion Cotillard) desde a infância até a vida adulta e como que eles se reúnem e se separam nesse período por causa de um jogo é, ao mesmo tempo, divertido e extremamente dramático. O fim fica em aberto e à escolha de quem o vê (eles morrem soterrados em um último desafio ou foi tudo aquilo uma brincadeira com nós, meros expectadores, e todos os beijos que vemos em seguida mostram que eles ficaram juntos desde o começo?), mas o que mais encanta nele é a canção “La Vie En Rose”, que anos mais tarde marcaria para sempre a carreira da atriz principal do longa em Piaf – Um Hino Ao Amor.


6- “The Story” – Norah Jones, em Um Beijo Roubado

Um Beijo Roubado

Já falei desta cena em minha lista de melhores beijos da década e volto a repeti-la na lista de melhores finais com música. Ao som da própria voz de Jones, vemos a personagem da atriz deitar sua cabeça na bancada de uma padaria e Jude Law aproximar-se e beijá-la enquanto dorme. Sério, um dos fins mais românticos da história do cinema. A câmera de cima, as mãos deles nas cabeças um do outro…até esqueço que o pôster do filme dá um baita spoiler disso!


5- “Sympathy For The Devil” – Guns N’ Roses, em Entrevista Com o Vampiro

Sim, nunca tinha percebido que a versão do clássico dos Rolling Stones que toca no fim de Entrevista Com o Vampiro era com o Guns N’ Roses. Mas indo ao que interessa, que desfecho, hein? Daniel (Christian Slater) está todo feliz em seu conversível, após uma entrevista incrível com Louis (Brad Pitt), quando o assustador Lestat (Tom Cruise) aparece e lhe dá aquela mordida. Ele ri, coloca a canção “diabólica” no som do carro e volta a dar gargalhadas antes de dar ao jornalista a escolha que nunca teve. Genial! Curiosidade: River Phoenix daria vida a Daniel, mas faleceu algumas semanas antes das filmagens iniciarem. Slater foi escalado e doou o seu salário à instituições de caridade que Phoenix apoiava. No fim dos créditos também há uma homenagem especial ao jovem artista.


4- “The End” – Hans Zimmer, em O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Fizemos uma exceção neste caso, uma vez que eram momentos com canções e não trilhas, mas como deixar a sequência final de O Cavaleiro das Trevas Ressurge de fora? Vi o filme quatro vezes no cinema de tão bom que ele é (ok, uma delas foi um ingresso que ganhei) e em todas elas fiquei arrepiada no fim. Revelações surpreendentes, incluindo um Robin (Joseph Gordon-Levitt) inesperado e um Bruce Wayne (Christian Bale) feliz da vida ao lado de Selina Kyle (Anne Hathaway) em um restaurante. E a música sofre uma transformação com uma batida assim que Alfred vê o velho amigo na mesa. Hans Zimmer seu lindo!


3- “Oh Yeah” – Yello, em Curtindo a Vida Adoidado

Clássico. Conheci o Ferris Bueller (Matthew Broderick) na Sessão da Tarde e sempre que pego ele passando na televisão não consigo resistir e acabo vendo o filme todo. Que personagem genial, em uma produção genial em todos os sentidos! Os momentos musicais em Curtindo a Vida Adoidado são vários, com destaque para “Twist and Shout” no meio de um desfile com carros alegóricos. Porém, se tem uma parte que é inesquecível é Rooney (Jeffrey Jones) andando na rua com a roupa e os sapatos destruídos pelo cachorro de Ferris, ao som de “Oh Yeah”. E ainda entra no ônibus escolar para piorar a situação. Lindo.


2- “Stop Crying Your Heart Out” – Oasis, em Efeito Borboleta

Apenas vi Efeito Borboleta em casa, mas isso não afetou em nada meu envolvimento com aquela história louca ao redor dos personagens de Ashton Kutcher e Amy Smart. Admito que o fim partiu o meu coração, por mais que um possível romance entre o casal pudesse causar novamente problemas às vidas de ambos. E o diretor me vem e coloca a canção mais deprê ever na última cena? Morri.


1- “God Only Knows” – The Beach Boys, em Simplesmente Amor

https://www.youtube.com/watch?v=Hew-PArnzXE

Se tem um filme de romance que eu amo de paixão é o britânico Simplesmente Amor, lançado em 2003. Lembro que eu tinha meus 14 anos, estava mega feliz em ver o Rodrigo Santoro com um papel bacana fora do Brasil e como uma produção daquelas seria ruim? Tantos bons atores, lançamento no fim do ano, histórias durante o Natal, toques de humor feitos adequadamente…muito difícil. Simplesmente amei. Mas o que mais marcou minha sessão e todas que vi desde então foi o fim, que reúne todas as histórias em um local só, um aeroporto, ao som de “God Only Knows”. Chorei. Eu, que não conhecia a canção do Beach Boys até ver o filme, tenho ela hoje como uma das minha prediletas.

Comentários