Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Os Clipes de Avril Lavigne: Uma Viagem de Volta aos Anos 2000

os clipes de avril lavigne

A cantora canadense Avril Lavigne surgiu nos início dos anos 2000,  a Era Dourada para o Pop Adolescente, com o hit “Complicated”. Lavigne ficou rapidamente conhecida por seu estilo punk, totalmente diferente das cantoras mais populares da época (Britney Spears e Christina Aguilera): calças e tênis largos, regatas e gravatas, usando pulseiras metálicas, a garota andava com os skatistas.

Esse conceito pode ser percebido em seus primeiros videoclipes que refletem o jeito simples e espontâneo de uma adolescente de 17 anos. Avril fez 36 anos de idade no dia 27 de setembro e completou 18 anos de carreira em 2020. Sem que perdesse sua essência, ela evoluiu artisticamente e sua videografia acompanhou tal processo, como podemos conferir em seu trabalho mais recente Head Above Water (BMG, 2017).

- Advertisement -

O Cinema de Buteco fez uma revisão em todos os clipes lançados ao longo de sua carreira. Participações especiais e comerciais foram excluídas da análise.

Álbum: Let Go (2002)
Canção: Complicated
Direção: The Malloys (“Love Dealer” – Esmeé Denters featuring Justin Timberlake)

Dude, do you wanna crash the mall?”  “Cara, vamo dar um rolê no shopping?” Avril pergunta no início do clipe e vemos em sequência ela e sua banda bagunçando as lojas, zoando e assustando as pessoas, experimentando roupas aleatórias e quebrando objetos. Com seu rosto angelical ela transforma vandalismo e total desprezo pelo patrimônio alheio em pura diversão (você também ficou com vontade de roubar um mini bug e dirigir desgovernado por aí!). O vídeo foi uma sensação e era constantemente número 1 na MTV.

Canção: SK8R BOI
Direção: Francis Lawrence (Jogos Vorazes: Em chamas, Eu Sou A Lenda)

Falando em diversão, não tem nada mais empolgante do que um show improvisado no meio da rua certo? Avril reuniu sua turma em uma performance com direito a skatistas e quebradeira (como ela amava quebrar as coisas!) até que a polícia, bem, eles não ficam muito satisfeitos com essa agitação.

Canção: I’m With You
Direção: David LaChapelle (Amy Winehouse – “Tears Dry On Their Own”)

O conceito urbano e caminhar cantando por uma cidade aleatória nunca foi novidade para vários artistas mas definitivamente Avril Lavigne adora a temática: ela traz variações disto em outros clipe, veja “What The Hell” e “Smile” por exemplo,  que combina bastante com o Let Go.

Canção: Losing Grip
Direção: Liz Friedlander (The Boys, Jessica Jones)

Se o show da Avril fosse um show de rock seria o vídeo clipe de “Losing Grip”.

Álbum: Under My Skin (2004)
Canção: Nobody’s Home
Direção: Diane Martel  (Mariah Carey – “All I Want For Christmas Is You”)

Avril Lavigne escreveu essa canção sobre uma amiga que passava por depressão e problemas emocionais. O vídeo tem um roteiro elaborado e consegue apresentar a temática sombria sem ser clichê. Avril atua bem no papel da personagem aflita e abandonada.

A diretora Diane Martel trabalhou com outros grandes nomes do pop, entre eles Beyoncé, Mariah Carey, Alicia Keys e Justin Timberlake.

Canção: He Wasn’t
Direção: The Malloys

O álbum Under My Skin é, em geral, mais agressivo em apresentar angústias e aflições em seu conteúdo. O clipe de “He Wasn’t”, em contraste, é o mais animado da era.

Canção: Don’t Tell Me
Direção: Liz Friedlander (The Boys, Jessica Jones)

Quando perguntada sobre a composição de “Don’t Tell Me” Avril disse que é sobre ser forte e não ceder à pressão de nenhum garoto. Procurando retratar os sentimentos da canção, Lavigne quebra copos, joga roupas de cama no chão e até  soca um espelho. Crianças não façam isso em casa!

Canção: My Happy Ending
Direção: Meiert Avis (Audioslave- “Like A Stone”)

O tópico relacionamentos é uma constante no Under My Skin e o clipe de “My Happy Ending” explora o fim de um romance. Avril assiste cenas do casal em um cinema, o filme que começa com uma fotografia colorida, logo se torna cinzento e escurece indicando, assim como na letra da música, que todas as memórias se perderam e tudo foi muito para um final feliz.

Álbum The Best Damn Thing (2007)
Canção: Girlfriend
Direção: The Malloys

“Girlfriend” foi considerado pela revista Rolling Stones um dos 18 clipes mais icônicos da história. E faz jus ao título de fenômeno mundial: o vídeo foi o primeiro a atingir a marca de 100 milhões de visualizações no Youtube. No Brasil, por meio de votação popular, ficou em primeiro lugar no ranking da MTV de clipes que mais marcaram a história da emissora. Não é exagero dizer que a cultura pop nunca mais foi a mesma depois dele, que é, sem dúvida, o mais famoso da carreira de Avril.

Canção: Hot
Direção: Matthew Rolston (Madonna: Celebration – The Video Collection)

O diretor Matthew Rolston é identificado como “Guardião do Glamour de Hollywood”, no clipe de “Hot” ele explora elegantemente o lado mais sexy e glamourizado da cantora. Fabulous!

Canção: The Best Damn Thing
Direção: Wayne Isham (Metallica & San Francisco Symphony)

Avril Lavigne sempre usou as cores rosa e preto para mostrar a todas as meninas que ter uma atitude Rock and Roll é extremamente feminino e divertido! Sim, uma coisa não anula a outra. Assim é o clipe de “The Best Damn Thing”!

Canção: When You’re Gone
Direção: Marc Klasfeld (Little Mix feat. Nicki Minaj – “Woman Like Me”)

A melancolia que nos abate quando sentimos saudade de alguém que perdemos. E sim, meus olhos se enchem d’água quando vejo aquele senhorzinho viúvo lamentando a morte da esposa.

Álbum Goodbye Lullaby (2011)
Canção: What The Hell
Direção: Marcus Raboy (Judd Apatow – The Return)

Como boa empreendedora que é, Lavigne faz várias propagandas de sua marca de roupas Abbey Dawn e de sua coleção de perfumes neste videoclipe. Outra observação importante: quantas tomadas será que a pequenininha (ela mede 1,55m) levou para acertar aquela bola de basquete na cesta?

Canção: Smile
Direção: Shane Drake (Fall Out Boy- “Saturday”)

Se na era The Best Damn Thing, Avril estava mais princesinha do pop do que punk rock chick, nos videoclipes de “What The Hell” e “Smile”  vemos ela resgatar a atitude do início da carreira, afinal de contas você sabe que ela é uma “crazy bitch!”.

Canção: Alice
Direção: Dave Meyers (Taylor Swift feat Brendon Urie –  “ME!”)

Avril pessoalmente pediu ao diretor Tim Burton para escrever uma canção para o filme Alice no País das Maravilhas, além de criar um segmento de mesmo tema para sua linha de roupas Abbey Dawn. Nesse vídeo, estão inseridas cenas do filme de 2010 em paralelo com a própria Lavigne vivendo um dia de Alice.

Canção: Wish You Were Here
Direção:Dave Meyers (Billie Eillish – “Bad Guy”)

Em entrevista ao Zach Sang Show, Avril relata que o diretor de “Wish You Were Here” ofereceu cebola cortadas para ajudar na interpretação, porém, ela recusou e conseguiu chorar de verdade nas cenas. Parabéns garota!

Canção: Goodbye
Direção: Mark Liddell

Com a fotografia toda em preto e branco e um estilo retrô no visual da cantora, o último videoclipe da Era Black Star foi todo filmado no hotel Chateau Marmont. Bem chique!

Álbum Avril Lavigne (2013)
Canção: Hello Kitty
Direção: Sem informações

O clipe mais controverso da carreira da cantora, “Hello Kitty” foi removido do Youtube depois de acusações de racismos e apropriação cultural, entretanto, no Japão, país onde foi gravado, o vídeo recebeu críticas positivas e foi defendido pelos fãs nipônicos da cantora. Na minha percepção, que é bem leiga no assunto, o vejo mais como uma tentativa de Avril (que tem uma coleção gigante de bonecas Hello Kitty) demonstrar seu apreço pela cultura japonesa. Acho a música um tanto irritante mas assista pela polêmica e tire suas conclusões.

Canção: Rock N Roll:
Direção: Chris Marrs Piliero (Ariana Grande ft. Future –  “Everyday”)

O vídeo clipe é cheio de referências da cultura pop: de quadrinhos e seriados a bandas famosas de Rock e até própria carreira de Avril Lavigne estão nessa odisseia maluca que ela e sua namorada (no clipe) vivem para salvar o “Rock N Roll”. Repare o que acontece no 1:45 (é isso mesmo que você viu: ela deu uma bandejada em um boneco que supostamente seria um bebê?!). Insano!

Canção: Here’s To Never Growing Up
Direção: Robert Hales (Muse – “Dead Inside”)

Tudo neste clipe combina com a Avril: juventude, festa, música e banda, amigos, passear de skate no meio do corredor, fazer bagunça mas, acima de tudo, se divertir! Naturalmente a canção virou um hit em todas as formaturas por aí.

Canção: Let Me Go
Direção: Christopher Sims (Sigma feat. Birdy – “Find Me”)

Nesse Vídeo estaria a personagem de Avril morta e assombrando a velhice de seu antigo parceiro? Como se libertar dessas memórias? Com a participação de Chad Kroeger (vocalista e guitarrista do Nickelback), que era na época, seu marido, o vídeo é visualmente sombreado e traz ela tocando piano, instrumento que é figura carimbada em sua discografia.

Canção: Give You What You Like
Direção: Sem Informações

No canal do Youtube oficial da Avril Lavigne esse clipe encontra-se indisponível mas é possível assisti-lo em outras contas.  Por fazer parte da trilha de A Vida Secreta das Babás (2015) exibe cenas do filme e trechos de Avril em um local, aparentemente uma igreja escura cercada por velas. O irmão dela faz uma participação tocando violão.

Álbum: Head Above Water (2018)
Canção: Head Above Water
Direção: Elliott Lester (Em Busca de Vingança)

Avril compôs “Head Above Water” enquanto enfrentava a doença de Lyme e, chegou a pensar que iria morrer. A canção é praticamente uma oração e o videoclipe transmite uma experiência de renascimento (aqui no caso, das águas) .Não por acaso ele foi lançado no mesmo dia do aniversário dela: 27 de setembro.

Canção: I Fell In Love With The Devil
Direção: Elliott Lester

“I Fell In Love With The Devil” é, tecnicamente, um dos melhores clipes da videografia de Avril, no meu ranking pessoal é o melhor, esteticamente acho muito lindo. A ideia do vídeo foi toda da cantora e é uma metáfora para relacionamentos tóxicos. Repetindo a parceria com o diretor Elliot Lester, Lavigne, queria que ele funcionasse como um mini filme, e provavelmente, o gênero seria terror ou suspense. Como não ficar assustada com a Avril dirigindo ela mesma dentro de um caixão? Ainda bem que ela consegue se libertar. Nas palavras da própria: “dark as fuck”.