Sons de Buteco: Matrix | Cinema de Buteco
Colunas Sons de Buteco

Sons de Buteco: Matrix

O SONS DE BUTECO DE OUTUBRO faz uma homenagem ao já clássico Matrix, dos irmãos Wachowski. Para o Cinema de Buteco, ele é tão especial que garantiu um lugar relevante na nossa seleção de 100 filmes favoritos (confira aqui). E como não podia deixar de ser, para merecerem uma atenção na nossa coluna especializada em música, o repertório musical é extremamente bem selecionado e reúne verdadeiras pérolas do new metal do final dos anos 90.

Ouça agora algumas das faixas que tocam em Matrix, que completou 15 anos de lançamento no dia 21 de março.

“The Theme Song” – Crystal Method

Pensar em Matrix sem lembrar desse tema principal é uma missão praticamente impossível. Uma coisa não existe sem a outra, e como sempre costumo dizer, para que um longa-metragem se torne inesquecível, ele PRECISA ter uma trilha sonora marcante. Matrix cumpre os requisitos com louvor.

“Du Hast” – Rammstein

Não sei vocês, mas a presença de uma banda como o Rammstein na trilha sonora de Matrix é meio que óbvio. E obrigatório. Digo isso considerando todo o peso infernal desses loucos, mas também as semelhanças inconscientes do universo de ambos. Na falta do Nine Inch Nails, o R+ supriu bem a necessidade de uma música recheada de agressividade sexual na obra.

“My Own Summer (Shove it)” – Deftones

Ok, vou extrapolar um pouco nessa edição da coluna. Tenho um desconto pelo tempo que ficamos sem produzir esse tipo de conteúdo aqui nas páginas do CdB e também porque fazer um especial sobre a trilha sonora de Matrix e não incluir o Deftones é covardia. Mais uma faixa pesada e que compõe muito bem a seleção musical do longa.

“Spybreak! (Short One) – Propellerheads

Em uma das sequências mais incríveis de Matrix, o espectador ouve uma das melhores escolhas musicais para servir de trilha sonora para um tiroteio. A gente praticamente se sente na pele dos personagens, sentindo toda aquela adrenalina. Escolha brilhante!

“Wake Up” – Rage Against the Machine

Depois de um monólogo épico de Neo, seguido daquele voo wanna be Superman, tinham que escolher uma música que fizesse jus para o contexto das falas do personagem e que ao mesmo tempo fosse potente para encerrar o filme, como um verdadeiro tapa nas orelhas dos espectadores. “Wake Up”, do Rage Agains the Machine, foi escolhida e cumpriu bem a sua função.

“Rock is Dead” – Marilyn Manson

Matrix realmente leva a sério aquele papo de deixar o melhor para o final. A explosiva “Rock is Dead” tem a honra de cuidar dos créditos finais do longa-metragem, logo na sequência da música do Rage Against the Machine.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.