Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Filme: A Entrega

Review The Drop

Animal Rescue é um conto bastante interessante. Aliás, tão interessante que chamou a atenção de Michaël R. Roskam e ele resolveu adaptá-lo para a telona, com o próprio autor da história, Dennis Lehane, como roteirista. Difícil dar errado, ainda mais se lembrarmos que, recentemente, Gillian Flynn fez o mesmo com Gone Girl e deu no que deu. The Drop (A Entrega, 2014) é um filme de gangster pouco comercial e traz personagens com falta de carisma, mas o seu suspense e desfecho compensam a sessão.

O título já explica em si o que acontece no longa, assim como os seus primeiros minutos. Ele faz referência ao bar Cousin Marv’s, localizado no Brooklyn, em Nova York, que é utilizado periodicamente como ponto de transações em dinheiro entre mafiosos perigosos. Os caras deixam a quantia no estabelecimento, ela é cuidadosamente guardada e depois entregue ao seu destinatário. Enquanto isso, o bar funciona normalmente, comandado por Marv (James Gandolfini) e Bob (Tom Hardy). No entanto, uma série de acontecimentos muda tudo: um roubo resulta em ameaças de gangsters poderosos aos protagonistas, já que querem sua grana de volta, e o surgimento de um cachorro e Nadia (Noomi Rapace) na vida de Bob pioram ainda mais a situação, pois eles trazem junto o temido Eric Deeds (Matthias Schoenaerts).

- Advertisement -

De maneira geral, a adaptação é bem fiel ao conto. Temos diferenças físicas em Bob, bastante alto originalmente, mas aqui interpretado por um Hardy de cerca de 1,75m; ou mudanças na ordem dos acontecimentos, a presença da polícia da cidade, através do detetive Torres (John Ortiz), inexistente em Animal Rescue, além de outros coadjuvantes. O roteiro de Lehane também deu mais espaço para conhecermos Bob, Eric e Marv, como de se esperar. Afinal, temos duas horas de filme, baseado em um conto bastante breve. Portanto, as adições feitas são bem-vindas e não destoam dos perfis do conto. E a diferente ordem não atrapalha.

Para uma pessoa que leu a produção e depois assistiu à película, fiquei satisfeita com a apropriação de Roskam. Ele escolheu um elenco extremamente talentoso para dar vida aos personagens e soube explorar seus talentos, usou muito bem o cenário de Nova York e deu o toque de suspense que The Drop merecia.

Os pontos negativos são o fato do filme não ser muito atraente para o expectador, em função de sua história pesada e fria, e os protagonistas serem secos demais para termos qualquer ligação com eles. O misterioso Bob, em especial, é incrivelmente interpretado por Hardy, mas sua personalidade sem graça, comportamento monótono e, aparentemente, bobo demais, chegam a irritar. Nem sua solidão e afeto por um cachorro que encontra machucado compensam isso. Somente a partir da cena em que o vemos embrulhando um pedaço de braço (fruto de gangsters) na maior frieza possível que começamos a ver que tem algo bizarro por trás daquele rosto; ele é mais esperto do que parece ser. Só que até chegar aí leva um tempo e isso prejudica o envolvimento do público. Marv provoca algo parecido. Dono do bar, ele mal vê a hora de sair dessa vida e não tem problema nenhum em fazer coisas, digamos, erradas, para conseguir o que quer e evitar ser “eliminado”. Ou seja, também carrega uma certa frieza que o distancia de nós.

Os únicos que trouxeram fortes emoções, a meu ver, foram Nadia e Eric. A primeira porque, mesmo ingênua demais em certos momentos, consegue nos tocar como uma mulher que tenta ganhar a vida e fugir de problemas. No clímax do longa, a atriz sueca dá um show de atuação. Schoenaerts, por sua vez, interpretou o vilão com primazia e seu sotaque ficou tão bom que você leva um choque se ainda não souber que ele é belga. Sua capacidade de falar inglês com perfeição é surpreendente, assim como a de Rapace.Se os protagonistas não conseguem nos comover em grande parte do roteiro, Eric o faz tranquilamente. Interesseiro e suposto assassino de um jovem da região há dez anos, ele é o tipo de pessoa que tira nossa paciência e nós faz torcer para que tenha o fim que merece.

Michael Aronov também interpreta muito bem Chevka, o perigoso mafioso que usa o bar e ameaça Marv após o roubo do início do filme. Ele não teve muito espaço para mostrar o seu lado cruel, mas nas poucas cenas em que aparece nos dá arrepios; até Bob e Marv ficam claramente amedrontados quando ele aparece com sua gangue.

The Drop é um bom filme de gangsters e o tom sombrio e seco que Roskam adiciona a ele é adequado. Trata-se de uma maneira interessante de explorar o gênero e acompanhar a história de Bob e Marv vale a pena. A falta de conexão com os personagens principais pode atrapalhar o interesse do espectador, mas para quem gosta do tema é uma produção que recomendo. Por um lado, não temos tiroteios e perseguições; por outro, temos mafiosos cruéis, um vilão que nos faz odiá-lo e um protagonista que nos surpreende no desfecho. Dê uma chance.