Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Filme: Um Senhor Estagiário

Um Senhor Estagiário crítica

Nancy Meyers tem algo especial. Pelo menos no meu caso, ela sempre conseguiu me conquistar em filmes como O Amor Não Tira Férias (2006) e Simplesmente Complicado (2009) por causa de suas histórias leves, comoventes e com personagens carismáticos. Em Um Senhor Estagiário (The Intern, 2015), ela nos apresenta uma adorável e real amizade entre uma jovem chefe e seu idoso estagiário, com dois atores perfeitamente escolhidos para tais papéis.

Dona da AboutAFit há 18 meses, Jules (Anne Hathaway) é uma mãe, esposa e profissional extremamente dedicada, mas que vê sua vida ficar cada vez mais ocupada e estressante com o passar do tempo e o crescimento de sua empresa. Depois que conhece o viúvo Ben (Robert De Niro), novo estagiário de seu negócio, as coisas mudam em função do carisma, tranquilidade e alegria do homem e como isso é transferido para todos à sua volta.

- Advertisement -

Uma empresa nova, com um ambiente dinâmico e similar ao de muitas companhias hoje em dia e uma chefe que gosta de andar de bicicleta dentro do escritório. Funcionários divertidos e amigáveis. Um estagiário simpático, bondoso e atencioso, o qual sempre está disposto a ajudar quem precisa, seja por meio de conselhos amorosos ou profissionais. Como o novo ambiente o transforma não ficou claro, apesar de vermos claramente como sua rotina ficou mais movimentada, alegre e comunicativa (até perfil de Facebook ele cria!). Enfim, não se envolver com esse enredo é difícil, é quase que simultânea a nossa conexão com o mesmo, desde a primeira até a última cena.

A narrativa leve de Meyers é outro ponto positivo. Diálogos bem construídos, especialmente aqueles entre Jules e Ben – algo essencial aqui -, um desenvolvimento natural do roteiro e transformações nos personagens que são plausíveis na maior parte do tempo. O aprofundamento dos dois protagonistas é bastante satisfatório, pois conseguimos compreender quem são, seu background e porque agem da maneira que agem. E, obviamente, Hathaway (ela traz ares de Diabo Veste Prada e Meyers faz questão de destacar isso) e De Niro. O filme funciona primordialmente por causa de suas atuações e química contagiante; a conexão construída entre eles é doce e convincente.

Os coadjuvantes acabam nos conquistando aos poucos também, principalmente a massagista Fiona (Rene Russo), a filha de Jules (JoJo Kushner) e o trio Jason (Adam DeVine), Davis (Zack Pearlman) e Lewis (Jason Orley). Papéis pequenos mas que preenchem e fazem sentido na história contada. Uma das cenas finais entre Ben e Fiona é uma das mais lindas do longa, assim como as constantes interações da filha de Jules com ele a sua família. Como não se apaixonar por essas pessoas?

Não, Um Senhor Estagiário não é um conto de fadas. Trata-se de um filme leve, sim, e os personagens podem ser bonzinhos demais, mas não é nada mais do que um universo recheado de indivíduos como aqueles que nos cercam diariamente. É uma produção realística e cotidiana, que reflete nossa sociedade e discute temas como machismo, família, amor, envelhecimento e amizade. Meyers faz aqui o que sempre fez de melhor e que está presente em outras obras de sua carreira.

Comentários