Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Flores do Oriente

UM FILME QUE JÁ NASCEU CLÁSSICO. Uma bela e triste história que realmente aconteceu em Nanquim, na China, em 1937, quando a cidade foi dominada por tropas japonesas. Quase não havia mais soldados e habitantes chineses em Nanquim quando as garotas do seminário encontraram John Miller, que seguia para o convento Winchester para enterrar o padre que cuidava dessas meninas. No início, John só queria dinheiro e o vinho que havia na igreja. Logo depois, chegaram as lindas mulheres do meretrício do rio Huai Qin com a ideia de que ali elas estariam seguras de toda a tragédia que acontecia na região.

Entre os personagens mais marcantes, vale destacar o Major Li, que era o comandante da tropa chinesa, e não havia mais nenhum soldado. Há tempos o cinema não retratava alguém de maneira tão heroica e admirável como esse grande homem que lutou até o fim para salvar a vida de pessoas inocentes. Outro grande personagem é o menino George, que via o falecido padre como um pai, e fazia tudo com base no que ele aprendeu com o seu mestre. No início, ele confrontava com John para manter tudo em ordem durante aquele período tão complicado. Sua missão era cuidar das meninas como um irmão mais velho. Sobre o ator principal, Christian Bale se saiu muito bem nesse papel que lhe permitiu ser um beberrão e logo depois um guardião de fibra dessas mulheres.

- Advertisement -

Mesmo com tanta tristeza, a feminilidade das Flores do Oriente continuava a iluminar aquele lugar sombrio e triste que os abrigavam. A beleza e a delicadeza das chinesas foram retratadas com a mais bela forma. Tanto as meninas pré-adolescentes quanto as prostitutas, no fim das contas todas eram doces e lindas.

O filme traz à tona aqueles discursos humanitários que são clichês, mas que nunca deixarão de ser verdade. O primeiro é sobre John: até mesmo um bêbado aproveitador pode se tornar um herói quando for necessário. Há também a bela lição das mulheres do meretrício: mesmo sendo subestimadas e mal vistas pela sociedade, conseguiram provar que são pessoas do mais alto valor. Mesmo com tanto sofrimento, a lealdade e a proteção aos mais vulneráveis provaram ser mais fortes que a guerra. Enfim, são tantos detalhes marcantes que só assistindo mesmo para compreender esse texto de maneira definitiva.

Realmente o cinema oriental sabe surpreender. O contraste entre a fotografia escura de um ambiente de guerra e as belas roupas lindas e coloridas das mulheres orientais é algo que dá um toque especial no visual do filme. Além disso, a perfeição e naturalidade dos atores bem dirigidos é algo magnífico.

Precisa falar mais? O filme está mais do que recomendado! Uma dica? Levem a caixa de lenço e se deixe levar pelas emoções dessa bela obra. Cinco caipirinhas, para o álcool aliviar essa bad, ok?

Título original: The Flowers of War Direção: Yimou Zhang Roteiro: Heng Liu Elenco: Christian Bale, Paul Schneider, Shigeo Kobayashi, Ni Ni, Xinyi Zhang, Atsurô Watabe, Shawn Dou, Yuan Nie, Tianyuan Huang, Kefan Cao, Takashi Yamanaka Nota:

Comentários estão fechados.