Cinema por quem entende mais de mesa de bar

As Mais Belas Histórias de Amor do Cinema: Antes do Amanhecer/Antes do Pôr do Sol

Antes do Amanhecer/Antes do Pôr do Sol (Before Sunrise/Before Sunset). De Richard Linklater. Com Julie Delpy, Ethan Hawke.

Quem conhece o habitual Linklater (de Escola de Rock, Fast Food Nation, Homem Duplo), nem imagina que ele é capaz de conceber uma história tão bonita e simples capaz de comover até os mais insensíveis, somente pelo fato de que, não há quem não tenha sonhado em viver uma situação como a daquele casal que se conhece em uma viagem para Viena (em Antes do Amanhecer) e que se reencontra tempos depois em Paris (em Antes do Pôr do Sol).

- Advertisement -

No primeiro filme, Jesse (Hawke) e Celine (Delpy, linda) dão uma chance ao acaso, não querem desperdiçar a oportunidade de pelo menos constituir uma bela amizade, já calcada em tantas coisas em comum, que descobrem ter durante pouco tempo de conversa em um trem. Em meio a passeios pelas ruas de Viena, se deparam com tipos estranhos, se divertem, e o mais importante (e mais bonito de tudo): conversam. Sim! É nessas conversas que falam sobre tudo: desde expectativas de vida, até histórias bobas sobre a infância. Vemos que aqueles dois foram feitos um para o outro. E vivem cada minuto daquela viagem como se fosse o último, por que de fato será. Nada de despedidas desesperadas, nada de sentimentalismos excessivos. E mesmo sabendo que a decisão tomada no fim do filme é talvez demasiadamente racional, já que não trocam nem telefones, muito menos sobrenomes (será que conseguiríamos fazer o mesmo?), com o objetivo de conservar aquele sentimento intacto, como se algo mais fosse o suficiente para estragar tudo, ficamos tristes ao ver aquelas imagens de Viena, vazia, sem os passos dos dois amantes.

 

No segundo filme, nove anos se passaram, e já não se trata tanto do acaso: ela dá uma ajudinha pro destino, quando vai ao encontro do rapaz, que na ocasião está lançando um livro, que inclusive, conta a história do dia em que se conheceram. É realmente comovente a veracidade com que as coisas acontecem aqui (Antes do Pôr do Sol, na minha opinião é o melhor dos dois): ela aparece na livraria onde ele está e se surpreende ao ver o homem que está ali (e não mais o garoto de cabelo sujo por quem ela se apaixonou); e ele se surpreende pela aparição sem avisos da moça, que agora é uma linda mulher, mas de quem nunca esqueceu.

A vida de cada um deles seguiu em frente. Família, filhos, trabalho. Os sonhos da juventude ficaram para trás. Mas a ligação entre os dois, por incrível que pareça continua a mesma (apesar de em certo constrangimento inicial por parte de ambos): a dupla de atores teve uma maior liberdade para improvisar, tanto que também estão nos créditos do roteiro (vencedor do Oscar), o que dá um toque ainda mais realista ao texto. O que faz Antes do Pôr do Sol, ser mais legal do que o anterior (mas os dois são ótimos!!), é fato que de a história acontece praticamente em tempo real: como Jesse tem apenas uma hora antes de pegar seu avião, é essa hora que acompanhamos.

E o fim do filme, quando vemos Julie cantando lindamente Nina Simone depois de uma conversa pesada entre os dois, e a câmera vai fechando a cena, não há como conter as lágrimas. É o ideal de história que todos queriam viver, pelo menos uma vez na vida. Veja os dois filmes juntos, um após o outro. São curtos, NADA cansativos (pelo contrário, não dá vontade de parar de ver!!) e no fim, você vai torcer pra que Linklater realize um outro filme concluindo a trilogia. Imperdível!

(O próximo da lista é Felizes Juntos, de Wong Kar-Wai. Podem sugerir tmb!!!)

Comentários