Cinema por quem entende mais de mesa de bar

A Noiva de Chucky

Noiva de Chucky

É MUITO TRISTE QUANDO VOCÊ REPETE UMA EXPERIÊNCIA CINEMATOGRÁFICA DO PASSADO E DESCOBRE QUE AQUELE FILME DIVERTIDO DA INFÂNCIA É UMA VERDADEIRA PORCARIA. Ronny Yu, o homem por trás de Jason Vs Freddy, foi o responsável por tentar ressuscitar a franquia Brinquedo Assassino e pelo menos na minha lembrança, ele havia feito um excelente trabalho, cujo resultado era uma das comédias de humor negro mais divertidas que vi no cinema. Isso tudo em 1998, quando eu estava com 12, 13 anos.

Foram muitos anos guardando aquelas gargalhadas na lembrança. Talvez tenha sido o primeiro filme que eu saquei uma referência às drogas, piadas com masturbação etc. Como esquecer a transa de Chucky e Tiffany (também conhecida como Pamela Anderson?)? “Espere, espere, você tem proteção?” Tudo isso fez a minha alegria por muito tempo e elevou o Brinquedo Assassino na categoria de serial killer mais divertido do cinema, vencendo até mesmo o Freddy Krueger. Hoje, após assistir A Noiva de Chucky novamente, me pergunto o quanto eu havia bebido na época que assisti ao filme para guardar tantas recordações positivas.

- Advertisement -

Claro que os momentos divertidos estão lá, mas não funcionaram como antigamente. Nem mesmo o maconheiro que acha que o Chucky é uma alucinação me fez rir. O sarcasmo dos diálogos é, no mínimo, “legalzinho”. Se as atuações na época não eram o ponto alto, descobrir a presença de uma jovem Katherine Heigl é constrangedor. Nem mesmo em uma produção de “terrir” ela convence. Felizmente o mesmo não pode ser dito de Jennifer Tilly. Ainda que ela não seja nenhuma atriz exemplar, os seus atributos são ainda mais interessantes do que eu lembrava na época, se é que você me entende.

Se o roteiro não é inteligente, se as mortes não são criativas, se os efeitos especiais soam como um projeto final de faculdade, se as atuações são mais assustadoras que os vilões de plástico, se Heigl já aparece interpretando o mesmo papel que ela faz no cinema atualmente em todos seus filmes, se fica comprovada a relação de Chucky com O Pestinha (o pai adotivo de Junior interpreta o tio chato da personagem de Heigl), se a trilha sonora pega músicas de rock bem undergrounds, pelo menos existe uma homenagem muito interessante na introdução de A Noiva de Chucky. O gênero horror slasher é devidamente reverenciado com aparições especiais de uma certa serra-elétrica, uma máscara de hóquei, uma máscara branca de Halloween, uma garra e provavelmente algumas outras coisas que não fui capaz de identificar. Yu pode não ser muito eficiente como diretor, mas pelo menos tentou ganhar os fãs logo de cara. Pena que o filme não consegue segurar a onda hoje, anos depois de seu lançamento.

Noiva de Chucky Poster

 

Nota:

Comentários estão fechados.