Cinema por quem entende mais de mesa de bar

30 Melhores Filmes de 2019

Um ano surpreendente para os críticos de plantão.

#20 Atlantique

melhores filmes de romance de 2019 - atlantique(Atlantics, Mati Diop, 2019) No subúrbio de Dakar, trabalhadores da construção de uma torre gigantesca ficam sem pagamento durante meses e decidem deixar o país em busca de uma melhor sorte cruzando o oceano. Entre eles está Souleiman, o amante de Ada, uma jovem prometida para um outro homem.

Qualquer detalhe a mais sobre Atlantique pode comprometer a sua experiência e estragar a grande surpresa do longa de Mati Diop. Para quem aprecia conhecer histórias sobre pessoas de culturas diferentes, o longa-metragem é uma baita dica. Mas não esperem por um romance convencional, ok?

- Advertisement -

Apesar de ser sobre um romance proibido, Atlantique fala muito sobre autoconhecimento e a busca pela nossa identidade no mundo.

Disponível na Netflix.

Recomendado para quem gosta de: romance ~diferente; Histórias sobre diferenças entre classes; Romances proibidos;


#19 Casal Improvável

melhores filmes de romance de 2019 - casal improvável(Long Shot, Jonathan Levine, 2019) O jornalista Fred Flarsky reencontra seu crush da infância Charlotte Field, que agora é uma das mulheres mais influentes do mundo e prestes a iniciar sua campanha para a Presidência norte-americana. Ele acaba contratado para ser o redator dos discursos da campanha e bem… eles acabam se envolvendo.

Jonathan Levine é um daqueles cineastas que contam histórias deliciosamente divertidas com risadas garantidas, além de deixar espaço para uma boa história de amor. Em Casal Improvável, temos excelentes momentos de humor, mas é a química improvável entre Charlize Theron e Seth Rogen que faz a obra decolar.

Recomendado para quem gosta de: Comédias românticas; Politicamente incorreto; Bastidores de política; Casais altamente improváveis; Jonathan Levine


#18 Doutor Sono

melhores filmes de terror de 2019 - doutor sono(Doctor Sleep, Mike Flanagan, 2019) Doutor sono é aquela típica continuação que ninguém pediu, poucos esperavam e todos torceram o nariz, mas, da mesma forma que o livro O Iluminado de Stephen King ganhou uma continuação em 2013, era só uma questão de tempo para que o mesmo acontecesse com a obra de 1980 de Stanley Kubrick.

O filme que estreou com muita desconfiança, tanto do público quanto da crítica, dá sequência aos eventos do Hotel Overlook. Acompanhamos então a história de Danny Torrance (interpretado magnificamente por Ewan McGregor) que, 30 anos após a experiência traumática de O Iluminado, luta contra o alcoolismo e a depressão. Ao mesmo tempo em que descobre habilidades de se comunicar com outros “iluminados”, ele se vê obrigado a enfrentar um culto de vampiros psíquicos.

O excelente diretor Mike Flanagan (Hush, 2016, e Gerald’s Game, 2017), que a princípio teve a ingrata tarefa de aceitar o projeto, conseguiu entregar um filme sombrio, assustador e denso, que prende o espectador na cadeira durante seus 152 minutos. Como em outras obras, o diretor faz um excelente uso de referências e homenagens, sempre de maneira elegante e respeitosa, entregando um bem servido buffet de fan service.

Doutor Sono não é perfeito e desliza em muitos momentos, no entanto, ou escorado pela nostalgia do público fiel de O Iluminado ou apreciado por olhos de espectadores desavisados, o filme se sustenta e até caminha com as próprias pernas, sendo uma competente e divertida continuação que merece ser vista. (Lucas Siqueira)

Recomendado para quem gosta de: Stephen King; Mike Flanagan; O Iluminado; Filmes de terror classudos


#17 A Luz no Fim do Mundo

melhores filmes sci-fi de 2019 - luz no fim do mundo(Light of My Life, Casey Affleck, 2019) Casey Afflek estrela, escreve e dirige aquele que podemos colocar facilmente como um dos destaques “alternativos” da temporada 2019, fazendo companhia a Midsommar, Doutor Sono, dentre outras obras menos badaladas e citadas em listas de final de ano.

A Luz no Fim do Mundo apresenta o pai de uma criança num mundo em que todas as mulheres morreram e com isso, a população mundial começa a entrar em declínio. Como sua criança é um pequeno milagre, Affleck precisa se esforçar para protegê-la de outros homens desprovidos de boas intenções. Lembrando bastante A Estrada, com Viggo Mortensen, o filme acerta em cheio na ambientação da trilha sonora, que deixa o espectador vidrado na tela. Affleck mostra uma sensibilidade ímpar para retratar a relação paterna, com longas cenas em que ele compartilha histórias com sua criança.

Temos aqui um longa-metragem que foge do lugar comum da ficção-científica e investe principalmente no drama pessoal de seus protagonistas, sem precisar dedicar tempo explicando o que houve ou tentando buscar a “cura” para a extinção que parece se aproximar da humanidade. Filmaço.

Recomendado para quem gosta de: A Estrada, de John Hillcot; Last of Us (game do Playstation 3); Filhos da Esperança; Filmes sobre futuros distópicos


#16 John Wick 3: Parabellum

JOHN WICK 3 PARABELLUM - FILMES DE AÇÃO 2019(John Wick: Chapter 3 – Parabellum, Chad Stahelski, 2019) Continuação direta do segundo filme, desta vez John Wick precisa dar um jeito de escapar da morte após matar um membro do sindicato dos assassinos profissionais.

John Wick Parabellum é o terceiro filme de uma franquia que começou de forma simples, mas foi crescendo com um universo sendo montado aos poucos. As cenas de ação são as melhores coisas que o filme nos proporciona, a câmera é usada de uma maneira sutil e coesa fazendo com que o espectador tenha noção do que está acontecendo na tela.

Keanu Reeves não é um dos melhores atores do ano, mas convence como um personagem que mesmo podendo se ferir, é uma ameaça para seus inimigos. (Richard Alves)

Recomendado para quem gosta de: Ação desenfreada, ficar zonzo (e surdo) com a quantidade de tiros; ver Keanu Reeves exaltando a violência


#15 Democracia em Vertigem

melhores filmes de 2019 - democracia em vertigem(Petra Costa, 2019) O Brasil passou por tantos percalços políticos nos últimos tempos que era comum ver brincadeiras em redes sociais lamentando a árdua tarefa de professores de História, que teriam que explicar tudo isso para seus alunos. A diretora Petra Costa deu uma grande ajuda nesse sentido, recapitulando os fatos mais importantes e montando o quadro geral. Democracia em Vertigem (2019) é uma obra pessoal, sob o ponto de vista de Petra, e por isso não pode ser descrita como isenta. Mas é extremamente emocional e vai ecoar fundo em parte da população.

O documentário, já disponível na Netflix, começa durante o governo de Dilma Roussef, mostrando um Brasil próspero, herdado de Luís Inácio Lula da Silva. Algumas decisões questionáveis fazem a economia dar algumas derrapadas e a popularidade da primeira presidenta do país cai. É a oportunidade que a oposição precisava para buscar algum elemento e alegar irregularidades. É ao mesmo tempo estranho ver retratado nas telas um momento tão recente e público da nossa história, já que vemos muitos documentários tratando de fatos antigos ou distantes, e triste, com a nossa jovem democracia se esvaindo entre nossos dedos. O material cedido por Ricardo Stuckert, fotógrafo oficial de Lula, enriquece bastante o longa, somando-se às filmagens de Petra. (Marcelo Seabra, do blog O Pipoqueiro)

Recomendado para quem gosta de: Política; Para quem sabe diferenciar partidarismo e política;