Cinemas Drive-Ins: Um Marco na História Americana

Quem nunca viu em algum filme “sessão da tarde” a típica cena de um casal de namorados em um cinema drive-in? Esse clássico do imaginário americano já foi representado em filme como Twister, Grease e Cinema Paradiso.

Os cinemas drive-in são caracterizados por enormes espaços ao ar livre (normalmente estacionamentos) com uma grande tela, onde as pessoas podem assistir aos filmes em seus próprios veículos. E engana-se quem pensa que seu surgimento foi na época da brilhantina.

Na verdade, a primeira experiência de cinema drive-in já tem mais de um século (!!) e ocorreu no México, na cidade de Las Cruces, que tinha um espaço parcialmente drive-in.

O estabelecimento era um Outdoor Cinema, que também é ao ar livre, mas se diferencia de um drive-in por não ter as vagas para carros. Mas o Theatre de Guadalupe reservou um espacinho especial para pombinhos assistirem aos filmes dos primórdios do cinema em seus veículos.

Algumas outras experiências ocorreram na década de 20, mas foi em 1933 que a invenção foi oficialmente patenteada, quando, após muitos testes em seu quintal, o magnata Richard Hollingshead Jr. abriu o seu cinema, na cidade de Nova Jersey.

Aos poucos a prática foi se popularizando, atingindo o seu auge entre as décadas de 50 e 60. Na época, apenas nos Estados Unidos, existiam mais de 4 mil cinemas drive-ins, a maioria em áreas rurais. A tecnologia do período já permitia que, em muitos cinemas, o público ouvisse o áudio do filme no rádio dentro seus automóveis, através de uma frequência AM ou FM.

Época auge do american way of life, os drive-ins tinham apelo comercial por permitir que as famílias levassem os seus filhos ao cinema de maneira mais econômica e confortável. Um dos maiores que já existiram, por exemplo, o Johnny All-Weather Drive-In, em Nova York, comportava 2500 veículos, contando também com restaurantes e playgrounds no espaço.

Aproveite para conferir a playlist que o BH Shopping preparou para deixar o mÊs dos namorados ainda mais românticos!

O estabelecimento funcionou de 1957 a 1984, época em que o formato já estava em declínio, devido, principalmente, à crise imobiliária americana (aumentando os aluguéis de grandes espaços) e proliferação de opções na programação televisa e em VHS.

Embora não tão popular quanto nos Estados Unidos, o Brasil também teve sua época de ouro do Cine Drive-In, com um grande público adepto ao formato. Como destaque, há apenas um em funcionamento atualmente: o Cine Drive-in de Brasília.

Inaugurado em 1973, hoje o espaço tem capacidade para 500 carros e possui a maior tela do país, com 312 m². A nostalgia rendeu até um longa brasileiro: O Último Cine Drive-In, dirigido por Iberê Carvalho, em 2014.

Mas os mineiros saudosos não precisarão ir tão longe para viver essa emoção. O BH Shopping vai promover uma experiência única na comemoração do mês dos namorados. Foram sorteados 300 vouchers para assistir a uma das 3 projeções que o BH Shopping vai montar em seu estacionamento.

Os filmes foram escolhidos pelo público no hotsite do evento e os escolhidos foram “La La Land”, “Como eu Era Antes de Você” e “Diário de Uma Paixão”.

Larissa Padron

Larissa Padron é jornalista pela UFMG e apaixonada por cinema desde pequenininha (o que ela ainda é). Nas horas vagas dança sem música na cozinha, treina o discurso para o Oscar com o shampoo e coloca uns vídeo no Youtube.