Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Filmes Online: 13 filmes que você precisa assistir na Netflix

7- O Som ao Redor (Idem, Drama, 2012, Brasil, Direção: Kleber Mendonça Filho)

O-Som-Ao-RedorO Brasil nunca resolveu de forma satisfatória o impasse entre a casa grande e a senzala. A ascensão da classe média, principalmente a partir do governo Lula, só acentuou a tensão existente entre as várias camadas da população. Em O Som ao Redor, essa tensão é palpável, embora subjacente. A trama acompanha um grupo de moradores e funcionários de uma rua da Zona Sul de Recife enquanto vivem pequenos eventos cotidianos. Ao mesmo tempo, a vizinhança decide contratar seguranças privados para protegê-la. Kleber Mendonça Filho é inteligente na sua decisão de apresentar acontecimentos triviais de modo antinatural, como pode ser percebido no intrigante desenho de som, sugerindo um equilíbrio limítrofe, prestes a explodir. Repleto de simbolismos, O Som ao Redor é um filme maduro e interessante, que retrata um país que tenta se mover ao futuro ainda ligado à violência de um passado do qual não consegue se libertar.

Théo Collin

O ponto alto do filme é a forma como as histórias simples questionam assuntos diversos, como relação entre patrão e empregado, falta de segurança do dia a dia, dificuldades e regalias da classe média-alta em nosso país e a herança cultural patriarcal brasileira, neste caso pernambucana. Um filme de significados, cenas marcantes e crítica social pertinente. Despretensioso, mas com certeza um motivo de orgulho para o cinema brasileiro.

- Advertisement -

Cássio Gabus

Clique aqui para assistir ao filme.


8- Questão de Tempo (About Time, Romance, Reino Unido, 2013, Direção: Richard Curtis)

about_timeTim (Domnhall Gleeson) é filho de um homem que consegue voltar no tempo, graças a um dom que os homens de sua família possuem e passam uns aos outros. Quando completa 21 anos, é apresentado ao mesmo dom e sua vida muda completamente. Não vi o filme quando estreou no cinema, mas quase três anos após seu lançamento. E que arrependimento!

A história é extremamente doce e narrada de uma maneira tão delicada que você se apaixona por cada um dos personagens facilmente. Gleeson é carismático, Rachel McAdams é uma gracinha e a química deles é perfeita na tela. Bill Nighy é um pai caloroso também e conseguimos nos identificar com o seu relacionamento com o filho desde o início. Enfim, para quem assiste ao Netflix com frequência, Questão de Tempo é a escolha perfeita para quem quer adicionar um pouco de mel ao seu dia e lembrar como a vida é bela! Destaco a trilha sonora, outro ponto forte da produção britânica.

Dani Pacheco

Clique aqui para assistir ao filme.


9- Sob a Pele (Under the Skin, Ficção Científica, 2013, Reino Unido, Direção: Jonathan Glazer)

under-the-skinO filme narra a história de uma criatura interpretada pela atriz Scarlett Johansson. Criatura, pois não se sabe ao certo o que ela é, apenas que ela está ali para servir a um único propósito: procurar homens que servirão de alimento para os aliens que a criaram. A tal criatura aborda suas vítimas em um van e algo interessante a notar é que nem todas as pessoas ali são atores; alguns foram filmados sem saber que estavam diante de uma estrela de Hollywood. Apesar da temática simples, o filme cresce de uma maneira interessante ao tratar, mesmo nas “entrelinhas”, questões sobre identidade, estética, relacionamentos e misoginia. A personagem no decorrer da sua jornada vai se humanizando, descobrindo sobre o mundo que a cerca e sobre si própria.

A fotografia tende a cores frias, uma trilha sonora discordante e silêncio em muitas partes, criando assim uma atmosfera sobre toda aquela estranheza que nos cerca. Acredito que não seja um filme que possa agradar a todos por ser um pouco “parado”, mas a reflexão que ele aborda sobre humanidade é muito válida e seu desfecho, por ser sincero, talvez incomode. Contudo, é bom levar um piparote de vez em quando para acordar um pouco, não é mesmo? E filmes assim são muito bem-vindos.

Heliezer Soares

Clique aqui para assistir ao filme.


10 – Tomboy (Idem, Drama, 2013, França, Direção: Céline Sciamma)

tomboy-posterTomboy conta a história de Laure, uma menina transgênero de dez anos que passa a se apresentar como menino ao chegar numa nova vizinhança. O que vemos em tela são as dificuldades de ser aceito na sociedade, mesmo fazendo parte de uma célula familiar carinhosa e acolhedora. Uma verdadeira luta. Um filme que trata com muita sensibilidade um assunto extremamente delicado. E os elogios devem ser direcionados principalmente para Céline Sciamma, diretora e roteirista, por ter escolhido uma montagem invisível clássica e com poucas palavras. São as ações do filme quem contam a história. Também são dignos de menção a atuação das crianças. Um sorriso no canto da boca é capaz de resumir o sentimento dos personagens muito melhor do que qualquer narração em off, ou diálogo criado artificialmente no roteiro para explicar o que está acontecendo ao expectador.

Leonardo Lopes Carnelos

Clique aqui para assistir ao filme.


11- Antes da Meia-Noite (Before Midnight, Romance, 2013, EUA, Direção: Richard Linklater)

before_midnight_ver2_xlgTerceiro filme da “trilogia do antes” conta mais uma vez a história de um dia na vida do casal Celine e Jesse. As dificuldades de manter um relacionamento, da educação dos filhos, da importância que cada um dá a cada coisa, ou seja, as atribuições de uma “vida de adulto” ainda cheia de incertezas são belamente desenvolvidas em um ambiente grego por meio dos tradicionais diálogos longos e naturalmente encenados que Linklater extrai da química entre Julie Delpy e Ethan Hawke.

Juliana Cuenca

Dizem que relacionamentos costumam ter prazo de validade. Com o passar do tempo a pessoa que acorda do seu lado todos os dias começa a perder a graça. Vocês não são mais atraentes como eram nos bons tempos e a vida parece ter ficado sem graça e emoção. A trilogia iniciada por Richard Linklater há 18 anos chega ao seu final com o emocionante Antes da Meia-Noite, que prova ser possível superar as crises comuns em toda relação e redescobrir o amor.

Tullio Dias

https://www.youtube.com/watch?v=7p8gOukIRKY

Clique aqui para assistir ao filme.


12- The Mask You Live In (Idem, Documentário, 2015, EUA, Direção: Jennifer Siebel Newsom)

tmyli_poster_largeThe Mask You Live In é um documentário de 2015 que mostra a pressão de crescer em uma sociedade machista e como os meninos são educados para fazer aquilo que é considerado “masculino”. O documentário é repleto de depoimentos de especialistas, crianças e adolescentes que sofrem com esse tipo de comportamento que somos obrigados a aceitar viver e nos coloca em questão o que pode ser feito para mudar tais padrões. The Mask You Live In é um soco no estômago assustador. Assista!

Felipe Borba

Clique aqui para assistir ao filme.


13- Ele Está de Volta (Er ist wieder da, Comédia, 2015, Alemanha, Direção: David Wnendt)

er-ist-wieder-da-2015-coverE se Adolf Hitler voltasse? Com um humor ácido que brinca com o pior da humanidade, o longa-metragem alemão Ele Está de Volta capricha nas piadas pesadas para nos convencer de que o austríaco responsável pelo Holocausto seria muito bem-vindo para boa parte da população alemã em um período semelhante aquele que se viveu a Segunda Guerra. Mas não se desespere se achar graça ou sentir simpatia pelo sujeito: é exatamente essa uma das leituras permitidas pelo polêmico longa-metragem que facilmente entrará nas nossas listas de melhores filmes de comédia de 2016 – embora tenha causado aversão em parte da equipe do Cinema de Buteco.

Mas isso aqui não é uma democracia…

Tullio Dias

Clique aqui para assistir ao filme.

 

Para continuar vendo mais indicações, acompanhe nossas redes sociais. E deixe também sua indicação nos comentários.