Cinema por quem entende mais de mesa de bar

O Guia Politicamente Incorreto dos Melhores filmes de humor negro de 2017

O CINEMA DE BUTECO SEMPRE TENTA INOVAR EM DEZEMBRO COM LISTAS INÉDITAS QUE PODEM (OU NÃO) CAIR NAS GRAÇAS DOS LEITORES. Uma das novidades deste ano é esse guia politicamente incorreto dos melhores filmes de humor negro de 2017.

São produções questionáveis com aquelas piadas que você ri sabendo que não deveria, mas se diverte mesmo assim. Se você não tem medo de meter o pé na jaca com filmes que nenhum dos seus amigos teria coragem de assistir, essa lista é especialmente para você!

O Guia Politicamente Incorreto dos Melhores filmes de Humor Negro de 2017

- Advertisement -

7- Mayhem

(Joe Lynch, 2017) Mayhem é o que se pode dizer um verdadeiro carnaval cinematográfico em que tudo é possível. Com uma premissa parecida com The Belko Experiment, o longa conta a história de um dia de trabalho numa empresa… Geralmente é comum as pessoas terem impulsos assassinos e sentirem vontade de matar seus colegas, mas Mayhem realmente leva isso à sério e faz com que todos os personagens sejam contaminados com um vírus que deixam os funcionários sedentos por sangue e violência.

Recomendado para quem: sente saudades do Glenn, de The Walking Dead; quem gostou de The Belko Experiment; quem trabalhou em call-center


6- O Culto de Chucky

(Cult of Chucky, Don Mancini, 2017) Chucky retorna para mais um banho de sangue e deixar a sobrevivente do filme anterior maluca de vez. Só que desta vez, o boneco assassino que ainda vai ter um crossover com seu grande amor Annabelle quando os produtores perceberem que um triângulo amoroso entre plástico e porcelana pode render milhões, descobre novas maneiras de matar.

Tosco até falar chega, Culto de Chucky é bem melhor que a baboseira que assistimos na última vez que encontramos com esse ícone do cinema de horror. A grande sacada para os fãs é trazer de volta o ator Alex Vincent no papel de Andy, o menininho dos filmes originais.

Ou você ama, ou você odeia. Simples assim.

Recomendado para quem gosta de: Filmes toscos; Efeitos visuais toscos; roteiros toscos; personagens toscos; e relembrar o clássico tosco O Brinquedo Assassino


5- Pequeno Demônio

(Little Evil, Eli Craig, 2017) Essa comédia de humor negro produzida especialmente para a Netflix tem a assinatura de um cineasta chamada Eli Craig. Talvez você não saiba quem é, mas se trata do cara responsável pelo hilário (Sério!) Tucker e Dale Contra o Mal.

Pequeno Demônio é engraçadinho, mas não chega aos pés do nível de sem noção de Tucker e Dale. De qualquer forma, ver Adam Scott interpretando um cara apaixonado que precisa aprender a lidar com o filho esquisito da sua amada garante boas risadas.

Recomendado para quem: sabe o que é namorar com quem tem filhos; gosta de filmes de terror, como A Profecia; sente saudade da Evangeline Lilly, a Kate de Lost;


4- Pequenos Delitos

(Small Crimes, E.L. Katz, 2017) Jaiminho Lannister, também conhecido como Nikolaj Coster-Waldau, estrela essa produção da Netflix. Ainda no elenco temos a sempre incrível Jackie Weaver (O Lado Bom da Vida).

A trama acompanha um ex-policial que caiu em desgraça com a corporação depois de se envolver num esquema de corrupção e cumprir seis anos de prisão por tentativa de assassinato. Quando volta para casa querendo ter a sua redenção, descobre que certas contas nunca deixam de ficar pendentes.

Recomendado para quem gosta de: filmes sobre redenção; produções originais da Netflix; corrupção na polícia; segundas chances


3- Better Watch Out

(Chris Peckover, 2016) Better Watch Out conta a história de uma babá precisa garantir a sua própria sobrevivência e a segurança de um adolescente de 12 anos de um perigoso invasor, mas logo ela descobre que as coisas podem ser bem mais complexas e tensas do que ela imaginava…

Com a participação da mesma dupla de atores que estrelaram o sensacional A Visita, de M. Night Shyamalan, Better Watch Out é um tanto assustador quando começamos a prestar atenção nas motivações psicóticas de seus personagens – mas ainda assim garante momentos divertidos.

Recomendado para quem gosta de: Filmes de terror,A Visita, Anjo Malvado; A Babá;

 


2- A Morte te Dá Parabéns

(Happy Death Day, Christopher Landon, 2017) Precisei ver críticos que sigo elogiando essa comédia de humor-negro para levar a sério. Minha única motivação para assistir A Morte te Dá Parabéns seria para garantir material para a lista de piores filmes do ano. Que bom que mudei de ideia!

A trama apresenta a história de uma estudante que precisa reviver o dia a sua morte num loop infinito que só vai ser quebrado quando ela descobrir a identidade do seu assassino: detalhe que tudo acontece no dia do seu próprio aniversário. Tem morte pior?

Recomendado para quem gosta de: Feitiço do Tempo, filmes sobre viagem no tempo, mortes violentas dignas de A Premonição, descobrir quem é o assassino;


1- A Babá

a baba the babysitter poster

(The Babysitter, McG, 2017) Que atire a primeira pedra quem apostaria que o diretor responsável por As Panteras e As Panteras Detonando poderia dirigir um longa-metragem tão divertidamente absurdo como A Babá.

McG apresenta a história de um nerd fracassado apaixonado por sua babá super-mega-hiper-blaster-giga-ultra-mulher-maravilha-vai-malandra-gostosa, que numa noite qualquer decide acordar escondido para descobrir o que ela ficava fazendo sozinha na sua casa.

Para azar do moleque, a tal babá é mais doida que o Batman e convidou uns amigos do cu riscado para realizar um sacrifício humano. O que deveria ser uma noite tranquila se transforma num verdadeiro pesadelo sangrento.

Prepare-se para boas gargalhadas em coisas que você provavelmente não deveria rir, como pessoas baleadas, piadas sobre doenças sexualmente transmissíveis, agressões contra adolescentes e outras coisas sem noção que tornam A Babá uma pérola entre os melhores filmes de 2017. O famoso tosco que é bom!

Recomendado para quem gosta de: Better Watch Out; para quem já se apaixonou por uma babá ou prima ou tia ou irmã de amigo; Violência gráfica gratuita; pessoas gostosas fazendo rituais satânicos

Comentários