Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Younger: De Repente Jovem, Novamente!

younger-season-2-850x560E se um dia você acordasse quinze anos mais jovem? Se por um momento você tivesse à oportunidade de se recriar e ter uma segunda chance na vida, não seria bom? A proposta parece bem fantasiosa, mas a nova produção de Darren Star nos dá um choque de realidade, e mostra que é um mundo selvagem lá fora para quem sonha em ser Carrie Bradshaw depois dos quarenta. A nova produção do criador de Sex And The City transita entre o flerte e o repúdio ao etarismo, e trás à tona uma questão muito em voga: até que idade é possível reconstruir a sua vida?

Younger, baseada no novel de mesmo nome de Pamela Redmond Satran, conta a história de Liza Miller que após o sua separação, aos quarenta anos, se vê rejeitada por um mercado de trabalho que já não fala mais a sua língua. Quebrada e desesperada por um emprego, após ser confundida por um rapaz de ter à mesma idade que ele, 26 anos, a protagonista topa a ideia de sua amiga para que finja ser quinze anos mais jovem, aumentando a sua competitividade profissional. Equilibrando os prós e os contras dessa nova vida da personagem, Star dá a luz a uma primeira temporada divertida, politica e muito madura, se comparada com as atuais séries de comédia.

Sutton Foster, que vive a protagonista, trafega muito bem entre as nuances de parecer uma mulher mais jovem e juntamente exalar toda a maturidade e sabedoria de Liza através de seu olhar. As cenas que ela divide com Hilary Duffy, interprete da sua melhor amiga no trabalho, são extremamente equilibradas, ao mesmo tempo que ela consegue vender toda a sua “jovialidade” através de seus looks é possível enxergar através da forma como ela fala, as marcas de alguém já andou por meia vida. Tanto é, que ela é acusada por Charles (Peter Hermann), seu patrão, por diversas vezes de não possuir a idade que afirma ter.

- Advertisement -

Hilary Duff é a maior celebridade estrelando a série, mas é apenas a ponta do iceberg na quantidade de grandes nomes da TV que Star reuniu para o seu retorno à mesma. A começar por Debi Mazar, completamente afetada por um botox mal sucedido, que vive espirituosa melhor amiga de Liza. Mesmo tendo a amiga mentindo o tempo todo para suas novas colegas, que ela é uma velha artista achada no easyquarto, Maggie está para o que der e vier, e é sempre o ombro amigo da protagonista quando as complicações de viver uma vida de mentira batem à sua porta.

Nico Tortorella cumpre a cota colírio capricho da série, e dá vida ao par romântico da protagonista. Juntos eles vivem uma montanha russa de emoções de um relacionamento entre diferentes faixas etárias, sem nem ao menos o rapaz entender o porquê. Miriam Shor da vida à bem sucedida chefe de Liza que regula a mesma idade que a protagonista, a personagem optou por uma caminho bem diferente, investindo em sua carreira e sofrendo da grande síndrome dos anos noventa da mulher que usa calças. Juntas elas tem uma grande queda por Charles, o chefe da editora e grande estereótipo do galã divorciado desejado por 9 entre 10 mulheres na mesma situação.

Com personagens beirando ao burlesco, e uma temática não tão assim criativa, Younger poderia cair facilmente no caricato se não fosse o seu ótimo roteiro, e suas grandes atuações (Hilary Duffy é o elo mais fraco). É claro que tem umas jogadas de humor fácil quando se trata de uma mulher de 40 anos tentando se passar por uma jovem de 26. Ela não sabe o que é IRL nem YOLO, e vira e mexe solta umas referências à Punky Brewster, mas no geral a série trata com muita delicadeza o dilema “mercado de trabalho vs. família” que as mulheres de sua idade enfrentam e como as novas mulheres estão trilhando um caminho diferente.

Younger é feminista até o talo sem em momento algum ser agressiva. É inteligente, engraçada, madura e acima de tudo… Humana! A série representa mulheres de todas as idades, religiões e identidades sexuais, e ainda nos presenteia com grandes participações ao longo de seu primeiro ano. Jane Krakowski, Kathy Najimy e Martha Plimpton não alguns dos nomes que figuraram na primeira temporada. O retorno do criador de Sex And The City prova que ainda existe sim, espaço na televisão para comédias fora do formato padrão, com humor leve e questionador. A série retornou recentemente pela TV Land e já foi renovada para uma terceira temporada, para quem curte comédias românticas é uma aposta infalível.

Comentários