Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Solução para restições geograficas do Youtube

Gigante no mundo do compartilhamento de vídeos, o YouTube alavancou a carreira de inúmeros
artistas, blogueiros e empresários, além de se tornar referência em diversas outras vertentes de
marketing e comércio digital. Mas, apesar de sua notável proeminência, nem mesmo ele foi
capaz de superar as limitações impostas por legislações restritivas pelo mundo afora. Como
resultado, não são raras as vezes em que os seus usuários se deparam com vídeos que estão
“indisponíveis” em suas localidades.

A boa notícia é que essas restrições geográficas, embora irritantes, são facilmente contornáveis.
Entre as mais variadas táticas possíveis para isso, de longe, a mais segura – e prática – de todas é
aquela dada por meio de redes VPN em dispositivos Android, iOS ou desktop.
E a explicação é muito simples. O YouTube limita o acesso a determinados conteúdos por meio
de um recurso chamado “filtro regional”. Esse “filtro” analisa o endereço IP do espectador,
detectando, assim, o país no qual ele se encontra e automaticamente determinando se a
reprodução daquele vídeo é possível ou não naquela localidade.
As restrições da plataforma, em geral, são definidas por questões legais, como direitos autorais e
limitações político-religiosas, podendo ainda serem objeto de medidas logísticas – como ocorre,
por exemplo, nas grandes companhias de streaming. Tendo as limitações, nesse último caso,
cunho puramente publicitário e comercial.
Seja como for, o método mais intuitivo de se burlar esse sistema é mascarar o endereço IP do
usuário, fazendo com que a plataforma do YouTube não consiga perceber sua real localização. E
é justamente isso que as redes VPN para dispositivos Android fazem.

- Advertisement -

Como funcionam as redes VPN para os dispositivos Android

Como dito acima, a principal estratégia para se livrar dos limites impostos pelo YouTube é
mudar a forma como a plataforma “enxerga” a sua posição no globo. Com o uso de uma rede
VPN, o usuário consegue fazer isso ao criar uma barreira entre o seu verdadeiro endereço IP e os
dados enviados ao sistema do YouTube.
Em termos mais simples, as redes VPN criam uma nova identidade para a conexão do usuário,
dando a ela a aparência de ser originária de qualquer lugar do planeta. Assim, caso o espectador
deseje assistir a um vídeo proveniente (e exclusivo) do Reino Unido, basta que ele programe a
VPN em seu dispositivo Android para mudar a localidade original do seu IP para aquele país.
Essa tática faz com que o YouTube perceba o usuário como estando geograficamente localizado
num lugar no qual o vídeo desejado está disponível. Deste modo, não há mais aquela restrição
anterior, ainda que, na realidade, o espectador esteja sentado na mesma cadeira, diante do mesmo
dispositivo, e na mesma cidade no interior do Brasil.

Para além dos limites impostos pelo YouTube

Vale ressaltar que essa técnica é funcional para muito além dos limites de acesso do YouTube.
Isso porque, do mesmo modo que a plataforma impõe “filtros regionais” a seus usuários, outros
diversos sites e aplicativos também apresentam restrições com base em endereços IP.
Assim, o uso de um programa de VPN em dispositivos Android, iOS ou desktop pode
proporcionar ao usuário uma experiência muito mais completa e ampla no âmbito da internet.
Há, afinal, todo um universo de páginas “inacessíveis” dependendo de sua localização.
Um exemplo extremo disso é o caso de países como a China, onde sites basilares como o
Facebook e o Instagram estão bloqueados por motivos políticos. Em tais cenários, o emprego de
redes VPN é, possivelmente, a única saída para se ter um acesso pleno à rede.
Considerações sobre o uso de VPNs em seu Android
Em lojas oficiais, como a Play Store, é possível encontrar as mais diversas opções de aplicativos
VPN – tanto em versões gratuitas, quanto pagas. A escolha depende apenas das pretensões do
usuário quanto à velocidade de navegação, estabilidade da conexão, dentre outros.
Em geral, os aplicativos pagos fornecem uma qualidade notavelmente mais satisfatória – em
especial no que tange à disponibilidade de recursos e configurações. Mas mesmo as alternativas
gratuitas podem ser bastante agradáveis àqueles que não têm tantas ambições em matéria de
customização.

A única ressalva para a seleção de um bom programa de VPN para seu Android – pelo menos no
tocante à superação dos limites impostos pelo YouTube, é primar por aqueles que possibilitam a
escolha da localização do servidor ao qual se vá conectar.

Isso porque, caso a escolha dessa localização seja aleatória, todo o plano de mascarar o endereço
IP para viabilizar o acesso ao vídeo desejado irá por água abaixo.

Comentários