Cinema por quem entende mais de mesa de bar

BAFTA 2020: análise dos vencedores

1917 ganhou sete prêmios no Oscar britânico.

O BAFTA realizou sua 73ª edição neste domingo. Apesar de Coringa ter tido o maior número de indicações, quem foi destaque no Oscar britânico foi 1917. A produção inglesa levou sete prêmios pra casa, incluindo melhor filme, direção e filme britânico.

Como fica a reta final do Oscar agora?

Filme

- Advertisement -

Com o fracasso de O Irlandês nesta temporada, creio que já podemos tirar o longa desta categoria. Tudo indica que 1917 (vencedor do PGA, BAFTA e Globo de Ouro) e Era uma vez em Hollywood (vencedor do Critics’ Choice e Globo de Ouro) são os dois favoritos ao Oscar de melhor filme.

Parasita não vem muito atrás, com um ponto a favor e um contra. No último caso, o fato de já ser o provável ganhador de filme internacional o prejudica. Em mais de 90 anos de cerimônias, nunca vimos um longa estrangeiro levar as duas estatuetas. Ou você leva uma ou a outra.

Por outro lado, como Parasita é, de longe, uma das películas mais unânimes do ano, ela poderia ganhar por causa do voto preferencial. Ou seja, pode não ser a primeira opção de melhor filme dos membros da Academia, mas pode ser a segunda, por exemplo. Somando esses votos, teria a maioria da entidade na categoria (caso o primeiro colocado não tenha a maioria).

Direção

Sam Mendes. Ponto. Ganhou tudo, incluindo o DGA, que só errou sete vezes na história. E são mais de 60 anos de edições!

Atuação

Assim como em 2015 e 2018, as categorias de atuação parecem consolidadas. Renée Zellweger, Joaquin Phoenix, Laura Dern e Brad Pitt são os frontrunners. Venceram no Globo de Ouro, Critics’ Choice, SAG e, agora BAFTA.

Ainda existem algumas ressalvas em relação à melhor atriz, uma vez que Judy é um filme independente, que nem todo mundo viu. Em outras palavras, Zellweger poderia repetir o fracasso de Glenn Close no ano passado, quando perdeu o Oscar mesmo após vencer o Globo de Ouro e o SAG. Quem poderia batê-la?

O nome mais pautado nos últimos meses é o de Scarlett Johansson. Só que, aparentemente, a Netflix não tem convencido nas grandes premiações. E ela não tem o histórico de Olivia Colman, que ganhou o BAFTA e o Globo de Ouro. A atriz tem o Satellite Award e poucos prêmios de associações de críticos, que não incluem as de Los Angeles e Nova York.

Sim, existe o risco dos 8 mil membros da Academia não terem maioria para dar a vitória a Zellweger. Mas será que alguém pode surpreender neste momento? Teremos um outro caso à la Denzel Washington ou Adrien Brody? É difícil.

Roteiro

Com os prêmios já entregues, entre eles o WGA no sábado, a disputa parece que está definida. Do lado dos roteiros originais, temos Era uma vez em Hollywood contra Parasita. Quentin Tarantino tem o Globo de Ouro e o Critics’ Choice; Bong Joon Ho tem o WGA e o BAFTA, lembrando que o americano não era elegível ao prêmio do sindicato dos roteiristas. Quem leva? Seria o terceiro Oscar de roteiro original para Tarantino, enquanto Bong teria a chance de vencer uma das categorias principais, além de filme internacional.

Do lado dos adaptados, outra encruzilhada: Adoráveis Mulheres e Jojo Rabbit. A adaptação de Greta Gerwig tem o Critics’ Choice e o USC Scripter Award, que já premiou produções como Argo, O Jogo da Imitação, Moonlight e 12 Anos de Escravidão. Taika Waititi, por sua vez, tem o WGA e o BAFTA.

Pesará pra Academia a ausência de uma mulher entre os premiados das categorias principais, levando-a a premiar Gerwig? Ou Jojo Rabbit repetirá o sucesso no Oscar de outros longas que levaram o People’s Choice Award do Festival de Toronto? Se Waititi vencer, Gerwig ainda pode ver seu filme premiado em figurino.

Animação

Uma incógnita ainda, pra ser sincera. Link Perdido tem o Globo de Ouro; Toy Story 4 tem o PGA; Klaus tem o Annie e o BAFTA. Vai ser uma campanha forte, principalmente entre a Netflix e a Disney. Os dois prêmios da produção da Netflix a colocariam em vantagem, mas o fato do serviço de streaming estar com pouco destaque entre os ganhadores da temporada de premiações pode significar uma ameaça.

Além disso, temos do outro lado a Disney. Nos últimos 20 anos, 11 das animações premiadas no Oscar tinham o estúdio envolvido de alguma forma. Vamos ver quem faz a melhor campanha!

Técnicas

A categoria de trilha sonora tem uma frontrunner: Hildur Guðnadóttir, que compôs para Coringa. Ela vem desbancando Thomas Newton, de 1917, na temporada.

No que diz respeito aos efeitos visuais, temos um dilema similar ao de animação. Isto porque O Rei Leão tem o VES (sindicato), Ultimato tem o Critics’ Choice e 1917 tem o BAFTA. E aí? Bom, 1917 teve os votos da academia britânica, faz todo o sentido. Mas em um ano que a Disney teve dois enormes sucessos de bilheteria, um deles a maior de todos os tempos, ela vai fazer de tudo pra coroar um deles com a estatueta. Se for Vingadores, melhor ainda.

Em edição e mixagem de som, devemos ter uma disputa forte entre Ford v Ferrari e 1917. No caso de Maquiagem, O Escândalo mostrou ser o grande favorito após levar o BAFTA e o prêmio do sindicato. Fotografia é do Roger Deakins, por seu trabalho em 1917; unanimidade.

Vencedores do BAFTA

Confira a lista completa de vencedores a seguir!

Assista aos meus comentários sobre o evento AQUI.

 

MELHOR FILME

1917 Pippa Harris, Callum McDougall, Sam Mendes, Jayne-Ann Tenggren

MELHOR FILME BRITÂNICO

1917 Sam Mendes, Pippa Harris, Callum McDougall, Jayne-Ann Tenggren, Krysty Wilson-Cairns

MELHOR PRIMEIRO FILME PARA UM ROTEIRISTA, DIRETOR OU PRODUTOR BRITÂNICO

BAIT Mark Jenkin (Writer/Director), Kate Byers, Linn Waite (Producers)

FILME NA LÍNGUA NÃO INGLESA

PARASITA Bong Joon-ho

DOCUMENTÁRIO

FOR SAMA Waad al-Kateab, Edward Watts

FILME DE ANIMAÇÃO

KLAUS Sergio Pablos, Jinko Gotoh

DIREÇÃO

1917 Sam Mendes

ROTEIRO ORIGINAL

PARASITE Han Jin Won, Bong Joon-ho

ROTEIRO ADAPTADO

JOJO RABBIT Taika Waititi

MELHOR ATRIZ

RENÉE ZELLWEGER Judy

MELHOR ATOR

JOAQUIN PHOENIX Joker

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

LAURA DERN Marriage Story

MELHOR ATOR COADJUVANTE

BRAD PITT Once Upon a Time… in Hollywood

TRILHA SONORA ORIGINAL

CORINGA Hildur Guđnadóttir

CASTING

JOKER Shayna Markowitz

FOTOGRAFIA

1917 Roger Deakins

MONTAGEM

FORD V FERRARI Andrew Buckland, Michael McCusker

DESIGN DE PRODUÇÃO

1917 Dennis Gassner, Lee Sandales

FIGURINO

ADORÁVEIS MULHERES Jacqueline Durran

MAQUIAGEM E PENTEADO

O ESCÂNDALO Vivian Baker, Kazu Hiro, Anne Morgan

SOM

1917 Scott Millan, Oliver Tarney, Rachael Tate, Mark Taylor, Stuart Wilson

EFEITOS VISUAIS

1917 Greg Butler, Guillaume Rocheron, Dominic Tuohy

CURTA DE ANIMAÇÃO BRITÂNICO

GRANDAD WAS A ROMANTIC. Maryam Mohajer

CURTA BRITÂNICO

LEARNING TO SKATEBOARD IN A WARZONE (IF YOU’RE A GIRL) Carol Dysinger, Elena Andreicheva

EE RISING STAR AWARD

MICHEAL WARD