Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Direto do Indie 2011 Parte 2: Finisterrae e O Moinho e a Cruz

- Advertisement -

Quando o argumento de um filme é a história de dois fantasmas que querem voltar à Terra na forma de seres vivos, um tom possível e bem vindo é o onírico, que beira o bizarro. É esta a escolha de Sergio Caballero (estreando na direção) em Finisterrae. Observando de longe a vida e a morte, o começo e o fim, os dois fantasmas (devidamente caracterizados com lençóis com furos no lugar dos olhos, que lentamente vão se sujando) decidem percorrer o caminho de Santiago, para que, no final, encontrem o portal para o retorno a vida.

No trajeto, situações estranhas e inusitadas. Completamente irreais. Uma hyppie cantora lírica, “seres do submundo”, exibições de video arte da cracóvia e paisagens desertas (quando não deveriam ser desertas) fotografadas em belos tons cinzas, denotam que a condição dos fantasmas não é tão diferente da nossa: este estar entre, sem saber ao certo o que é e o que não é indício de vida, e a busca por algo constitutivamente finito (a ponto de fazê-los quer abrir mão da eternidade). É divertido, teatral e ao mesmo tempo poético. A cena que encerra o filme é belíssima e os créditos finais hilários. 





Já em O Moinho e a Cruz, temos um belo exemplo de como as sinopses do Indie podem ser enganadoras. Com a promessa de um filme em que a pintura realmente ganha movimento, o filme de Lech Majewski fica entre a supervalorização de uma proposta e o caricatural quando parte da pintura de Pieter Brugel, “A Procissão para o Calvário” para, a partir dela, ficcionar e tentar reconstituir o contexto que teria inspirado o pintor a criar a monumental obra de 1654. Em alguns momentos o filme funciona, criando imagens que, mais que Brugel lembram Vermeer, mas erra quando reconstrói os hábitos que marcaram a cultura flamenca de forma irreal. 

Houve, ao que tudo indica, um erro na exibição do filme, já que o deleite visual não aconteceu. A imagem pictorializada, mais pareceu uma fotografia tirada de câmera com má qualidade. Primeira decepção do Indie deste ano.

Finisterrae, 2010
Direção: Sergio Caballero
Roteiro: Sergio Caballero
Elenco: Pau Nubiola, Pavel Lukiyanov, Santí Serra, Yuri Mykhaylychenko

The Mill and The Cross, 2010
Direção: Lech Majewski
Roteiro: Lech Majewski, Michael Francis Gibson
Elenco: Rutger Hauer, Michael York, Charlotte Rampling, Joanna Litwin, Dorota Lis

Comentários