Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Oscar 2020: análise dos vencedores

O Oscar 2020 aconteceu na noite de ontem e foi destaque como de costume. Só que o motivo deste ano foi mais do que especial. Isto porque Parasita ganhou quatro estatuetas, incluindo melhor filme.

Recorde histórico

Pela primeira vez, em 92 edições da premiação, um longa internacional venceu a categoria principal do evento. Já havíamos visto produções como O Tigre e o Dragão, A Vida é Bela, Amor e Roma serem indicadas, mas ficou somente nisso. Parasita veio pra quebrar esse tabu.

- Advertisement -

Tudo começou em maio de 2019, quando o drama de Bing Joon Ho estreou em Cannes e foi premiado com a Palma de Ouro. Dias depois, foi lançado nos cinemas da Coreia do Sul, onde faturou mais de $ 70 milhões. A partir daí, rodou pelos festivais de Telluride, Toronto, Nova York, entre outros. Em outubro, a Neon iniciou sua distribuição nos EUA, que soma, até o momento, $ 35 milhões.

Além dos quatro Oscars, Parasita tem no currículo dois BAFTAs, um SAG, um Globo de Ouro, dois Critics’ Choice Awards, e centenas de outros reconhecimentos.

Melhor Animação finalmente resolvida

A dúvida chegou ao fim na cerimônia. Após uma temporada dividida, Toy Story 4 foi a animação premiada. Na bagagem, trazia um PGA.

Depois de levar sete Annie’s, incluindo melhor filme, e o BAFTA pra casa, Klaus surgiu como um forte nome na categoria. No entanto, a produção da Netflix não conseguiu bater a Disney.

1917 deixado de lado

Destaque no Globo de Ouro, DGA, PGA e BAFTA, o longa de Sam Mendes era o grande favorito do Oscar. Porém, o favoritismo não foi confirmado pela Academia. O maior choque foi em direção, pois o sindicato raramente erra o futuro vencedor do Oscar. Em mais de 60 anos de história, esta foi a oitava vez que isso ocorreu.

A película saiu ontem com três estatuetas técnicas: fotografia, edição de som e efeitos visuais. Neste caso, foi uma surpresa, pois não se esperava uma vitória de um filme de guerra.

Nos prêmios do sindicato, O Rei Leão e O Irlandês foram os ganhadores, enquanto Vingadores: Ultimato foi reconhecido no Critics’ Choice. OK que 1917 levou a melhor no BAFTA, mas trata-se do Oscar britânico; era muito provável ver a academia local dando prioridade a Mendes. E não podemos nos esquecer que a Disney e a Netflix estavam por trás das campanhas dos outros indicados.

No Oscar for Greta

Não foi desta vez. Parecia que Adoráveis Mulheres iria ganhar o prêmio de roteiro adaptado, mas não rolou. Jojo Rabbit cresceu nas últimas semanas, especialmente após as vitórias no BAFTA e no WGA. Greta Gerwig viu o seu novo filme ser premiado na categoria de figurino.

Um total de 13 mulheres receberam estatuetas ontem. Nas categorias mistas, as vitórias vieram em trilha sonora, maquiagem e penteado, filme, figurino, direção de arte, curta documentário e de animação, e documentário.

Atuações previsíveis

As categorias de atuação estavam seladas. Era muito difícil ver um outro nome derrotar Renée Zellweger, Joaquin Phoenix, Laura Dern e Brad Pitt. O quarteto venceu tudo que podia nesta temporada, sem dar chance pra ninguém.

Zellweger adiciona uma segunda estatueta na carreira, 16 anos após Cold Mountain. Phoenix havia sido indicado três vezes no passado, sendo a última delas em 2013, por O Mestre. Laura Dern havia sido indicada duas vezes. Pitt já tem um Oscar em casa, só que como produtor. No caso, de 12 Anos de Escravidão, que foi eleito melhor filme seis anos atrás.

Brasil de mãos vazias

Como esperado, o Brasil continua sem um Oscar. E isso não foi surpresa, diga-se de passagem. Mesmo com notas elevadas da crítica, o documentário não chega nem perto do reconhecimento que American Factory, Honeyland e For Sama tiveram no último ano em festivais e premiações da indústria. Levou a melhor o trabalho produzido por Barack Obama.

Enfim, a indicação de Democracia em Vertigem havia sido, de fato, uma vitória para o país. Ainda mais no provável lugar de Apollo 11, um dos filmes mais elogiados de 2019, que tinha no currículo um PGA, prêmio do sindicato de editores, LAFCA, NBR e Sundance.

Prêmios por estúdio

Disney/Fox – 4

Neon – 4

Sony – 4

Universal – 3

Netflix – 2

Warner Bros – 2

A+E Networks – 1

LD Entertainment/Roadside Attractions – 1

Lionsgate – 1

Paramount – 1

Pior audiência da história

Apesar do resultado surpreendente e importante para o futuro da premiação, a Academia amarga a pior audiência da história do Oscar. Somente 23,6 milhões de pessoas assistiram à transmissão pela emissora ABC.

Isto não é um sinal de que o evento não interessa; é um sinal de que precisam acordar e lembrar que estão em 2020. As pessoas não têm apenas TV em casa, mas celular, tablet, computador e laptop. Tem gente que nem televisão tem, como eu.

Portanto, é hora de repensar esse modelo e providenciar novas formas de acompanhar a premiação nos próximos anos. O streaming não é popular como é hoje em dia à toa. Se a Academia abriu as portas para membros diversos recentemente, já passou da hora de olhar para o seu público e o comportamento dele.

Lista completa

Confira a lista completa dos vencedores na próxima página!