Antes que Termine o Dia

Poderia mentir e dizer que detesto quando vejo um filme bonitinho e detono a história com uma visão crítica ou insensível. Pode-se dizer que sou insensível, mas a verdade é que Antes Que Termine o Dia chega bem perto de ser o irmão lunático do esquizofrênico Casa do Lago. O motivo? Eu conto agora, mas se você não tiver assistido ao filme, melhor parar de ler agora.
Pronto? Parou de ler?
Então. A Casa do Lago é um belo filme de romance para a maioria das pessoas, não é verdade? Um belo dia irei ter coragem e competência para fazer o meu post sobre o filme estrelado por Sandra Bullock e Keanu Reeves, mas enquanto isso não chega, vou ficar por conta da história de amor lunática com toques de espiritualismo de Antes Que Termine o Dia. Peguem bem o roteiro: jovem promissor dá mais atenção para a sua vida profissional que para a namorada. Num belo dia, após reuniões e decisões importantes, eles tem uma pequena discussão e encerram o relacionamento. Ela entra num táxi e sofre um acidente fatal, deixando o pobre coitado do cara desolado. Pois bem. O dia seguinte. Ele acorda e descobre que ela não morreu e então passa a reviver o dia. A diferença é que agora ele sentiu o sabor da perda e vai se esforçar para fazer tudo certinho dessa vez. Ele oferece um dia perfeito, daqueles que fazem qualquer menina se derreter totalmente, mas acaba descobrindo que (agora entra a parte em que começo a destruir a fantasia da coisa) o dia anterior não havia passado de uma premonição e que aquele realmente seria o último dia de sua vida.
Só mesmo em uma premonição para um sujeito recusar sexo matinal. Conheço algumas pessoas que praticamente matam para ter um pouco de diversão na hora do café e o personagem ignora a Jennifer Love Hewitt semi-nua por conta de uma reunião no trabalho. Lógico que tinha que ser uma espécie de sonho inconsciente. Aqui é preciso valorizar o talento da atriz Jennifer Love Hewitt, que surpreende como cantora e cria uma personagem extremamente apaixonante. Não sei quanto a você, mas eu não resisto a meninas louquinhas e com um sorriso cativante desses. E olha que estou ignorando a parte dela, aparentemente, ser uma tremenda ninfomaníaca. Menina maluquinha de sorriso lindo e tarada sexual são combinações que me faria querer casar sem pensar muito.
Antes Que Termine o Dia tenta, e consegue, mostrar a evolução de uma pessoa diante a ameaça da perda. O personagem teve que perder a sua amada/adorada para compreender que a sua vida sem ela não significava nada. A única coisa que ele demorou para perceber é que enquanto ele aprendia o que era o amor verdadeiro, estava prestes a descobrir que antes que o dia terminasse, ele não iria tornar a sentir aquilo novamente.
Claro que essa é uma mensagem/teoria bem sutil, mas que claramente pode ser encaixada e o filme ganha um novo (e melhor) sentido quando visto dessa forma. Assim como acontece em Cidade dos Anjos, mais valeram as poucas horas de amor completo que o casal dividiu do que uma vida inteira sem saber como seria. Antes Que Termine o Dia pode não ser aquele filme indispensável sobre romances e essas coisas todas, mas consegue agradar bem mais que o esperado. São três caipirinhas.

  • João

    gente, é claro!
    o problema é a lingerie que ela escolheu, coisa brega. cadê a sensualidade?

  • 2T

    eu achei bem interessante. nao eh top, mas… tem sucesso comigo. hahaha

  • João

    ótimo saber. apareço assim na saraiva dia desses. (mentira)

  • Telca

    entao, o que dizer?

    nao è muito dificil rebater seu argumento de que o filme è ” lunatico”, pessoas que se dedicam mais ao trabalho tendo parceiros maravilhosos… existem, isso nao è coisa de outro mundo. Quando se analisa um filme è interessante procurar entender o enredo fora do seu ambito superficial, ou seja nao podemos nos ater ao roteiro… uma coisa è o enredo outra coisa è o que o enredo quis mostrar profundamente. Em filmes ” bobinhos” com roteiros simples è que se tratam os assuntos mais fundamentais e passiveis de reflexao. A questao da espiritualidade ou nao espiritualidade nao torna o filme mais ou menos verossimel. Quando se reflete sobre o filme lancando uma otica para alem da simplicidade aparente do enredo, se pode notar que se trata do que prioriza-se na vida, do quanto uma pessoa è capaz ou nao de deixar seu coracao e seus sentimentos livres, do quanto uma pessoa precisa para enxergar sua propria realidade e se libertar. quanto a inverossimilhanca, que seria um grande erro tecnicamente falando, se nos atermos aos roteiros superficialmente metade dos ”grandes filmes” seriam reprovados criticamente. 😉 beijos

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.