As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada

Em 2005, após ter me tornado um nerd sem nenhuma esperança com cinemas e sagas, pois, Star Wars, Matrix e o Senhor dos Anéis já tinham seus últimos episódios exibidos, o seguinte trailer chegou para encher novamente os olhos de todos os que gostam de batalhas mitológicas, universos paralelos e complexos.

As Crônicas de Nárnia – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa realmente foi um filme de encher os olhos. Logo que cheguei em casa da sessão, comprei o livro (volume único) no submarino.
E vou falar pra vocês, tal atitude se mostrou de muita valia na minha vida.
Para quem não conhece o universo de Nárnia, vou falar um pouquinho (bem pouquinho mesmo).
As crônicas de Nárnia são narradas em 7 livros, sendo que os três primeiros livros são:
  • ·O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa;
  • ·Principe Caspían;
  • ·A Viagem do Peregrino da Alvorada;
  • ·A Cadeira de Prata*;
  • ·O Cavalo e seu menino;
  • ·O sobrinho do Mago**;
  • ·A última batalha;
* Cronologicamente este é o penúltimo livro
** Cronologicamente este é o primeiro livro
Viu falei que ia falar pouquinho…

Neste terceiro filme da saga é narrada a viagem do grande navio Narniano, o Peregrino da Alvorada, quando os irmãos Edmundo e Lucia, e seu primo Eustáquio juntam-se à tripulação do navio e de seu capitão, o príncipe Cáspian, para participar desta aventura.

Vale ressaltar que esta é a terceira visita dos irmãos à Nárnia, onde estes são os “filhos de Adão e Eva” e os reis de Nárnia, enquanto Eustáquio nunca visitou o maravilhoso mundo de Nárnia e, a princípio, tem uma postura extremamente incrédula quanto a tudo que está vendo.

A viagem que a princípio tem o motivo um tanto quanto confuso, torna-se claro quando a tripulação se encontra com o grande opressor.

Além dos personagens humanos, existem outros dois representados por animais que merecem destaque na trama do filme, Ripchip, o rato valente e destemido que já é um velho amigo dos irmãos, e Aslam, o Leão que representa nada mais nada menos que DEUS (eu realmente acho mais válido do que colocar o Morgan Freeman no papel.)

Confesso que como li o livro pouco depois de ter assistido ao primeiro filme não me lembro em detalhes sobre fidelidade da adaptação, mas posso dizer que este flime foi extremamente fiel ao seu público, ou seja Infanto Juvenil.
Não adianta você ir ao cinema esperando por uma trama complexa e personagens extremamente profundos, pois a proposta não é esta, mas sim de passar noções interessantes sobre auto-estima, lealdade, bravura e outras lições básicas que muitas vezes nos esquecemos.

Se você não se interessa pelo tema, o filme realmente vai ser uma grande perda de tempo, mas se acha interessante este tipo de ficção, vale a pena dar uma olhada.

Uma dica é: leve seus filhos e/ou sobrinhos para assistir As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada, por ser um filme simples, direto, muito bonito. Com certeza os pequenos irão se lembrar por muitos anos das lições do filme.

Eu, como sou bonzinho e gosto de beber, dou 3 caipirinhas, pelas lições que o filme passa.

Joubert Maia

Co-fundador do Cinema de Buteco, é formado em Relações Públicas e Publicidade e Propaganda pela PUC Minas.
Faz parte do núcleo Mineiro do Cinema de Buteco, é responsável pelas promoções, layout e facebook da página.

Comentários

  1. Alguém podia me explicar o que leva uma pessoa a se basear em um livro, sendo que o roteiro será todo modificado. De onde tiraram aquele nevoeiro???