Assunto da Vez: Vampiros

No mês passado falamos sobre os vários (e curiosos) filmes de zumbis. Ficamos devendo uma lista com os melhores de todos os tempos segundo o Cinema de Buteco e os melhores segundo as milhares de listas existentes na internet. Então este mês não iremos perdoar e além da listinha com os melhores filmes de vampiros de todos os tempos, teremos uma atualização no post dos zumbis também, certinho?

O filme Lua Nova entra em cartaz na sexta-feira e nada melhor que aproveitar a oportunidade para falar de alguns filmes que influenciaram (ou não) a escritora Stephenie Meyer e seus personagens purpurinados. Não estranhem se filmes como Drácula de Bram Stocker ou Entrevista com o Vampiro não aparecerem em nosso especial. O motivo é que João e Wonka, respectivamente, fizeram posts excepcionais sobre os dois filmes meses atrás e ninguém aqui ousou encarar o desafio de mencionar as duas histórias novamente. No mais, esperamos que você se divirta com nosso especial!

Ah, claro! True Blood pode não ser a coisa mais genial se tratando de vampiros, mas fazer um especial sobre o tema e ignorar a série seria uma tremenda burrice. Se Stephenie Meyer tivesse lido os livros de Charlaine Harris, aposto que Crepusculo teria se saído muito melhor com outros públicos, além de adolescentes semi-psicóticas.

Cronograma:
15/11 – Blade – O Caçador de Vampiros
16/11 – Blade 2
17/11 – Blade Trinity
18/11 – Vampiros de John Carpenter
19/11 – Deixa Ela Entrar
20/11 – Crepusculo

  • fla

    odeio ter que confessar, mas true blood é demais

  • 2T


    TOMAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  • João

    acho que a gente devia repostar o bram stocker e o entrevista.

  • Fla

    uma boaaaa

  • 2T

    ah, nã

    acho que deveria rolar um ANALISANDO ou um 10 PERGUNTAS.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.