Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Caso 39

- Advertisement -

Essa semana está bem punk. Seja na vida pessoal ou nas novas atrações nos cinemas, a coisa não anda nada boa. Dos três “grandes” lançamentos do fim de semana, acho que nenhum conseguiu passar nem mesmo no crivo do poster. E olha que esse é o método mais tosco de verificar a qualidade de um filme, só perde para a avaliação por título nacional (e nesse caso, Dupla Implacável não tem concorrentes. Ainda não deu para assistir Uma Noite Fora de Série, mas não sei se tenho estômago para tanto depois de ver Caso 39 e o já citado Dupla Implacável. Para começar bem a semana, que promete ser um verdadeiro filme de terror, vou falar do filme de Christian Alvart.
A primeira coisa errada com Caso 39 é a forma como foi vendido. Se bem lembram, há muitos anos um filme chamado A Vila ganhou ares de ser o filme de terror mais espetacular do mundo por culpa de trailers e publicidade equivocada. A história meio que se repete com o slogan “Alguns casos não deveriam ser abertos”. Você consegue pensar em coisa mais clichê ou idiota? O pior é perceber durante o desenvolvimento da história que provavelmente já assistimos esse filme antes. Caso 39 poderia ser indicado como o “concorrente” de A Orfã, mas com menos da metade da qualidade de roteiro e atuações.
Enquanto a maioria das pessoas resolve pegar no pé da Renée Zellweger por conta de sua atuação horrorosa, eu prefiro abrir mão de ir por esse caminho. Sou contra bater em cachorro morto. A atriz, que ultimamente parece querer imitar o visual de Charlize Theron em Monster, perdeu sua direção e agora vai ficar fadada a papeis ruins em filmes deprimentes. Rezo para existir uma luz no fim do tunel para uma atriz talentosa e que no passado arrancou várias risadas com sua interpretação brilhante em Diário de Bridget Jones. As outras atuações de Caso 39 são horrorosas. A jovem atriz Jodelle Ferland até que consegue esboçar um pouco de qualidade, mas sua personagem é tão ridicula e previsível que fica dificil elogiar. Bradley Cooper ainda é apenas um rostinho bonito e que corre o sério risco de ficar travado nesses filmes medíocres.
Imaginem a história de uma assistente social com voz de criança (e que provavelmente pode usar o twitter para dizer que os outros usuários não merecem falar com ela ou o anjo dela) que por acaso do destino, se depara com mais um caso de abuso de violência infantil. Só que dessa vez ela esta diante um casal sinistro que resolve fritar a própria filha no fogão da casa. Como boa samaritana, salva a vida da injustiçada criancinha e a adota. O que ela não sabe (mas que fica claro e evidente desde o começo do filme) é que a menina é o capeta chupando manga e assistindo cartoon network. A receita é infalível para (tentar) render boas histórias e sustos. O diretor do filme foi incompetente nas duas coisas…
Infelizmente Caso 39 é apenas mais um daqueles filmes que tenta ser bem maior do que é. Não se deixe enganar.
Ficha Técnica:
Caso 39
(Case 39, 2009)
Dirigido:
Christian Alvert
Roteiro: Ray Wright
Genêro:
Terror
Elenco:
Renée Zellweger
Trailer

Comentários