Duro de Matar 3 – A Vingança

Duro de Matar 3 – A Vingança é a sequência mais fraca da série estrelada por Bruce Willis. Mesmo com a presença de Jeremy Irons e Samuel L. Jackson, a história não convence e o humor acaba não sendo dos melhores também. Vale ser mencionado que ao contrário dos filmes anteriores, além da história não se passar no natal, dessa vez o roteiro usa a cidade de Nova York para se desenvolver ao invés de ficar preso em um prédio ou aeroporto.

John McClane está passando por uma fase difícil, onde seria extremamente fácil encaixar qualquer canção da banda de rock nacional Matanza. Bebendo todos os dias, abandonado pela família e com problemas no serviço, ele é obrigado a entrar em cena depois que um bandido resolve explodir diversos pontos da cidade. Jeremy Irons dá vida para Simon Gruber, irmão de Hans Gruber (interpretado por Alan Rickman no filme original) e é por sua conta que existe o subtítulo “A Vingança”. Simon está decidido a vingar a morte do irmão, que acabou descobrindo da pior forma possível que não tem asas ou é capaz de planar. Samuel L. Jackson completa o elenco como um desafortunado que vira “parceiro” de McClane. Impossível não lembrar de Mel Gibson e Danny Glover na série Máquina Mortífera, ainda mais com a quantidade de “carinhos” verbais que os personagens de Jackson e Willis trocam ao longo do filme.

Apesar de se passar em ambiente aberto, Duro de Matar 3 também tem a sua cena marcante. Em determinado momento da sua busca pelos explosivos, McClane tem que escapar da fúria da água dentro de um tunel. Não chega nem perto da adrenalina que foi a cena em que ele é ejetado do avião no filme anterior, mas dá para divertir.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.