Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Capitu

Para os amantes da literatura como eu, a minissérie Capitu é um prato cheio. Em 5 capítulos, baseada na obra-prima Dom Casmurro do mestre Machado de Assis, conta a história de Bentinho e seu doentio e desconfiado amor por Capitu.

A adaptação para a TV, devo dizer, está ousada. Com uma trilha-sonora que varia entre Jimi Hendrix e Beirut, e um cenário “ópera-rock-moulin-rouge”, a trama pretende atrair os jovens que tem um, digamos, pré-conceito quanto ao autor.

- Advertisement -

A história nos é contada pelo escritor-narrador-personagem Bentinho, de uma forma moderna, como em capítulos, sendo pausada cada vez que necessáro, para apresentação de algum personagem e/ou explicação ao telespectador. A narrativa é contada em termos “machadianos”, o que dificulta o entendimento para os não apreciadores preconceituosos e inflexíveis, mas achei que se encaixou perfeitamente com o tema moderno e com a trilha-sonora pesada. Os personagens clássicos de Machado, interesseiros, bajuladores e hipócritas estão presentes, e seu modo de representá-los, com ironia e sarcasmo, também (“… Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis…” – Memórias Póstumas de Brás Cubas). Bentinho trás um retrospecto da sua vida, observando as próprias memórias, e mostrando-as ao telespectador. O que errou, quando hesitou, quando amou, quando odiou.

Vale a pena! Leia o livro também! E perca esse preconceito bobo de um adolescente que foi obrigado a ler na escola, quando na verdade estava procurando livros de sacanagem.

Destaque para o elenco novato, com exceção de Maria Fernanda Cândido e Eliane Giardini, que está mostrando talento nessa ótima oportunidade. E por que estou falando de uma minissérie?
Porque me lembrei do engraçado filme, adaptado do romance Memórias Póstumas de Brás Cuba, e essa foi uma excelente oportunidade para unir o útil ao agradável! E, ora, estamos num blog democrático, não?

Teaser:

Trailer (Memórias Póstumas de Brás Cubas):

Comentários