Marcação Cerrada

Clássico exemplo de um filme voltado para o público norteamericano ávido por futebol americano. Certamente que ele desperta muito mais emoção para os ianques do que para os brasileiros, embora seja inegável a capacidade de despertar um espirito competitivo em cada um de nós. Justamente por isso, se torna ainda mais cansativo e previsível.

Marcação Cerrada tem James Van der Beek (o Dawsons “Creep”) como ator principal. Um jovem estudante que ganha a oportunidade de substituir o quaterback do time de futebol americano, quando tudo que queria na vida era uma bolsa de estudos em uma faculdade. Da vida boa de esquentar o banco, o cara acaba sendo obrigado a mudar de vida e vira o ídolo do time após uma contusão do titular (vivido por Paul Walker). O problema maior é que o treinador (Jon Voight) vai ser um verdadeiro pé no saco e dar ordens acima de qualquer consequência. A linda Ali Carter aparece como a cheerleader caridosa.

Os diálogos são chatos. Atuações toscas. Sotaque irritante. Destaque mesmo para a professora stripper e para a excelente trilha sonora. De resto, passe longe! Ou não. Vai que você gosta de filmes de esportistas…

alguém tem duvida de como será a próxima sessão “melhores cenas”?

Ficha Técnica:
Marcação Cerrada
(Varsity Blues, 1999)
Dirigido:
Brian Robbins
Roteiro: W. Peter Iliff
Genêro:
Drama
Elenco:
Ali Carter , Paul Walker
Trailer

  • Fla

    quando vi o poster, pensei que era uma versão zuada de Dawsons Creek…

    coitado do Dawson…

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.