Cinema por quem entende mais de mesa de bar

A Insustentável Leveza do Ser


De 1988, do diretor Philip Kaufman, baseado na obra homônima de Milan Kundera. Pra quem se interessar no filme, aconselho ler o livro antes, pra assim entender certos detalhes do filme, certas sutilezas e até mesmo simplesmente ler por ler, porque o livro é excelente.

A Insustentável Leveza do Ser conta a história de dois casais, Tomas-Tereza e Franz-Sabina, e de como suas vidas se cruzam, e suas personalidades se assemelham. Num contexto de ocupação stalinista na Tchecoslóvaquia, a Primavera de Praga em 68 fervia pelas ruas, e cada personagem foi atingido pela guerra de uma maneira diferente.

(Pra quem fica perdido, um pouco de história: depois da II Guerra Mundial, com o mundo bipolar, e a URSS se formando, a então Rússia libertou a Tchecoslováquia do domínio nazista, e o comunismo foi imposto, num golpe de estado em 1948. O país assentiu até 68, quando Alexander Dubcek, um comunista liberal, iniciou uma série de propostas democráticas, a chamada Primavera de Praga. A URSS, temendo a mobilização geral, enviou tanques para Praga. Os tchecos reagiram de forma a desnortear os russos, com rádios piratas que tinham uma vida de 9 minutos, impedindo de serem localizadas. Dando ordens à população para manterem a calma e não colaborarem com os russos, a mobilização foi de certa forma pacífica. Dubcek, porém, foi preso e levado à Moscou, onde não tinha notícias positivas do país. Pressionado pelos russos, que contavam-no que o país estava sendo massacrado, Dubcek assina a renúncia às idéias, deixando o país nas mãos da URSS até 89.)

- Advertisement -

Tereza invade a vida de liberdade amorosa de Tomas, assim como Franz invade a compulsão de Sabina pela traição. Muitos valores são questionados: amor e sexo têm que co-existir, ou podem ser duas coisas totalmente diferentes? Mentir por compaixão é uma mentira sincera?

Tomas vive com as rédeas de sua vida amorosa. Não se deixa envolver por ninguém, não tem amantes fixas (com exceção de Sabina). Tereza surge em sua vida, fazendo-o questionar essas regras, que há tanto o satisfazem. Continua a traí-la, aí o valor amor/sexo.
Sabina se envolve com Franz, um homem casado, coisa que a agrada. Gosta de trair, viver no desconhecido. Até que ele viola suas regras, fazendo com que ela fuja, como sempre fez.

Acima de valores da vida e da guerra, acima de qualquer coisa, o filme retrata a sensualidade. Os personagens mostram um mundo carnal e carinhoso, volupioso e casto, amoroso e sexual. Muitas cenas de nudez e sexo.

Realmente não dá pra falar mais. Leia o livro, assista o filme, vale a pena. Pra quem tem preguiça de pegar o livro, ou não gosta de ler, ou não tem acesso, sei lá, no meu outro blog tem uma boa síntese, que ajuda bastante pro filme.

Com Daniel Day-Lewis (Tomas), Juliette Binoche (Tereza), Lena Olin (Sabina) e Derek de Lint (Franz).

Comentários