Closer – Perto Demais

Fato é que CLOSER já foi comentado por duas vezes no Blog e seria lugar comum demais insistir no assunto se não houvesse alguma coisa além para acrescentar. O post do Jão foi bem esclarecedor e interessante, já que ele mostrou os motivos que tornaram o filme tão especial para ele e tantas outras pessoas, visto que ele realmente não tem concorrência quando se trata de filmes sobre relacionamentos reais.

Dirigido por Mike Nichols e com roteiro de Patrick Marber (que também escreveu “Asylum” e “Notes of a Scandal“), CLOSER – PERTO DEMAIS conta a história de quatro personagens distintos: Alice (Natalie Portman), Dan (Jude Law), Anna (Julia Roberts) e Larry (Clive Owen). Cada um deles tem a sua característica peculiar e a forma como suas vidas se cruzam chega a lembrar o (também já citado) “Insustentável Leveza do Ser“. E é justamente nesse aspecto que quero comentar sobre o filme.

As duas obras contam com quatro personagens perdidos em seus pensamentos e o rumo que suas vidas levam. As metáforas utilizadas pelo escritor Milan Kundera em seu livro, a explicação da infidelidade constante de Tomas: “queria conhecer o milionésimo segundo que diferenciava uma mulher da outra durante o orgasmo” e o sofrimento de ver o comportamento do marido, tudo isso serve como inspiração e pano de fundo para analisar a forma como Marber escreveu o seu roteiro. Ele criou personagens reais, com uma crueza raramente observada no cinema e que passam sentimento sobre a verdade dos amores.

O personagem de Jude Law se envolve com a jovem Alice, mas se apaixona perdidamente por Anna, que não era uma garota, mas uma mulher. Durante um ano engana a sua parceira, até optar por contar a verdade. Nessa cena, ele se classifica como um grande egoísta e que vê mais futuro na relação com a outra mulher. O tempo passa e ele descobre que Anna transou com o ex-marido para conseguir com que ele assinasse os papéis do divórcio. Dan não consegue se controlar e a acusa: “Por que você não mentiu?” e ela responde que eles haviam combinado de não esconder nada um do outro e que não era nada demais. Quando o personagem volta com Alice, ele se revolta com a omissão da garota em contar a verdade. Até o momento em que ela diz que se contasse, ele nunca a perdoaria.


um apanhado de fotos e frases do filme

Dan é um clássico exemplo do que é o ser-humano e seus problemas em confiar ou não nas pessoas. Vivendo e amadurecendo. Se num primeiro momento ele detesta a verdade, no outro, precisa dela desesperadamente. Afinal, o que é preciso para se conseguir ser feliz ao lado de alguém? O que basta para confiar em outra pessoa? São questões que CLOSER nos transmite para uma reflexão que não tem conclusões.

É realmente um excelente filme e recomendo a leitura do livro. Você passa a ter uma visão mais abrangente dos motivos de cada personagem. Recomendadíssimo!

Ficha Técnica:
Closer (2004)
Dirigido: Mike Nichols
Roteiro: Patrick Marber
Genêro: Romance
Elenco: Julia Roberts , Clive Owen , Jude Law , Natalie Portman
Trailer

esse post é dedicado para a aniversariante do dia! meus parabens, magui!!!

  • João

    magui!
    parabéns!!!

    e..
    por mais que eu tenha gostado do meu post (:D), acho que nunca o assunto “closer” acaba…

    e a comparação com o a insustentavel é muito boa, apesar de nao ter gostado do filme… (vou revê-lo…)

  • Fla

    tt será processado por plágio!

    hahahahahha

    coincidências…

  • 2T

    hahahahahahaha

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.