Sexo sem Compromisso

Ivan Reitman ficou famoso por dirigir Caça Fantasmas, um dos clássicos dos anos 80 (e que por enquanto, ainda não tem uma crítica nas páginas do Cinema de Buteco – mas aposto que esse ano ainda teremos alguns comentários sobre os caçadores de fantasmas mais engraçados do cinema). Não se pode dizer que o diretor conseguiu manter o nível de qualidade e originalidade nos seus projetos seguintes, quando derrapou feio em produções toscas. Cinco anos depois de comandar as cameras em Minha Super Ex-Namorada, o diretor colocou as mãos no roteiro de uma divertida comédia romântica estrelada por Natalie Portman e Ashton Kutcher.

Mesmo se Natalie Portman não aparecesse apenas de calcinha e soutien em diversas cenas, Sexo sem Compromisso seria uma boa opção de cinema para se curtir acompanhado (assim como a Nathy M escreveu em seu texto, na época do lançamento). Talvez esse seja um daqueles filmes românticos moderninhos mais divertidos de 2011. O divertido roteiro de Elizabeth Meriwether oferece personagens “reais”, com medos e inseguranças capazes de causar identificação em qualquer pessoa do mundo. O texto afiado é lotado de piadinhas divertidas, o que somado com o estilo “sessão da tarde” dos filmes de Ivan Reitman, faz a história fluir rapidamente e sem cansar o espectador, que acaba ignorando os previsíveis clichês de parte das comédias românticas.

- Advertisement -

Falar dos clichês, no caso de Sexo sem Compromisso, não é sinônimo de falta de qualidade. Pelo contrário. Meriwether e Reitman conseguem se aproveitar dos lugares-comuns das comédias românticas e parte disso é graças ao trabalho sempre impecável de Natalie Portman (que sabiamente escolheu gravar dois filmes mais tranquilos – Sexo sem Compromisso e Thor – depois de enfrentar o tenso Cisne Negro). Emma é a reprodução da maioria das mulheres modernas que tentam vender a imagem de seguras, independentes e que se dizem felizes com uma vida solitária. Para manter a pose, a personagem chega até mesmo a bancar a durona quando ganha de presente um disco com diversas músicas para ouvir durante a tpm. Mas assim como costuma acontecer na vida real (pelo menos para pessoas com o mínimo de bom senso), Emma percebe o valor da relação que está abrindo mão e precisa decidir vencer os seus próprios medos em relação a uma vida à dois para não perder o amor de seu p.a. Adam (Ashton Kutcher, que do lado de Natalie Portman consegue ser um excelente ator).

Um filme tranquilo, sem grandes pretensões e que consegue entreter o espectador do princípio ao fim. Independente do seu estado de espírito, se você acabou de passar por uma desilusão amorosa ou está vivendo um novo (velho) romance, a única certeza que Sexo sem Compromisso vai garantir além de uma paixão incondicional pelo trabalho de Natalie Portman, é que ainda é possível acreditar em contos de fadas modernos. Pelo menos no cinema.

Comentários