A Hora do Espanto 3D | Cinema de Buteco
Terror

A Hora do Espanto 3D


fright-night-2011 A Hora do Espanto 3D

GERALMENTE A EXPERIÊNCIA 3D NUNCA CHAMOU A MINHA ATENÇÃO de forma que fosse indispensável ou garantia de divertimento completo. O cinema como uma indústria precisa bolar maneiras diversas de tentar inovar no produto que oferece ao público e algum imbecil achou que seria confortável colocar aqueles óculos na cara e ficar de frente para a telona, com uma sensação maior de proximidade com a história. 

Talvez isso devesse ser o suficiente para elevar o prazer (ui) de ir até o cinema, mas a verdade é que ainda não existiu um filme que fosse capaz de realmente aproveitar o máximo dessa tecnologia. Enquanto cineastas como Terrence Mallick, que em Árvore da Vida ofereceu uma experiência quase que sensorial, não experimentarem a tecnologia, arrisco dizer que ficaremos sempre parados naquilo que de “melhor” o remake de A Hora do Espanto tem de melhor: uma sequência de ação eletrizante dentro de um carro em alta velocidade, que é perseguido pelo vampiro interpretado por Colin Farrell

fright-night-2011 A Hora do Espanto 3DCom direção de Craig Gillespie, essa repaginada do filme de 1985 tem a grande vantagem de não ter Chris Sarandon no elenco. Farrell faz uma excelente performance trabalhando o charme e a sensualidade característicos de um vampiro (ouviu, Edward Cullen?) em sorrisos e olhares que enfeitiçam todas as mulheres do elenco (e da plateia, provavelmente). Se consegue superar ou não o original, é uma questão de gosto. Existem várias mudanças no roteiro que Marti Noxon escreveu, todas devidamente justificadas, exceto talvez pela completa desfiguração da personalidade de Evil Ed. 

No filme original o personagem foi interpretado por Stephen Geoffreys (que virou ator de filmes adultos voltados para o público gay no decorrer da década de 90) numa performance muito intensa e divertida. Christoher Mintz-Plasse (McLovin de Superbad – É Hoje) é um ator muito superior, não há dúvidas, mas dá uma abordagem completamente diferente ao personagem e o personagem acaba sendo um mero coadjuvante, perdendo toda a força. 

Os atores realmente surgem como o diferencial entre as duas produções. Anton Yelchin convence muito mais que William Ragsdale no papel de Charley Brewster, mas chega a ser covardia comparar o carisma de Yelchin com o trabalho do ator do filme original. Imogen Poots é apenas um rostinho bonito que em breve poderá ser a “nova” Megan Fox. Toni Collette dá um show como a mãe moderna que começa a flertar com o vizinho sedutor. Aliás, é preciso ressaltar todo o sarcasmo da atuação de Farrell. Ele parece completamente à vontade em suas cenas, criando um personagem ambíguo, onde não se sabe se aquele mistério todo é perigoso ou não.

fright-night-2011 A Hora do Espanto 3DExistem outras mudanças, pequenos detalhes, como a sequência em que o casal tenta ter a sua primeira transa ou o fato de Peter Vincent (Roddy McDowall no original; David Tennant no remake) ser um jovem louco varrido. Foram alterações necessárias para modernizar a trama, pois apesar de cult, o filme original esbarrava em um nível de ingenuidade que é agressivo nos dias de hoje. Sem falar na presença de Sarandon como o vampiro “sedutor”, que deixa fácil acreditar no potencial sedutor de Robert Pattinson na saga Crepúsculo

O auge do filme de Gillespie, como já mencionei, é a sequência em que Brewster foge com a mãe e a namorada. O vampiro Jerry (Farrell) persegue o trio e toda a cena é conduzida de forma tensa, deixando o espectador vidrado na tela. Em determinado momento, o vampiro desaparece e a câmera começa a rodar de um canto ao outro do veículo. São em momentos assim que A Hora do Espanto nos diverte (em uma mistura de sustos com risadas) e prova que de vez em quando, Hollywood consegue modernizar antigos clássicos sem destruir o que eles tinham de melhor. É óbvio que, (mesmo com Chris Sarandon encabeçando um elenco “inspirado”) o original sempre terá a sua relevância na história do cinema, afinal trata-se de um filme cult e que preserva fãs no mundo inteiro, coisa que dificilmente a nova versão será capaz de manter daqui alguns anos. 

fright-night-2011 A Hora do Espanto 3D

Fright Night, 2011
Direção: Craig Gillespie
Roteiro: Marti Noxon
Elenco: Colin Farrell, Anton Yelchin

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.