Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Aterrorizada

O Cinema de Buteco avisa: o texto contém informações sobre o que acontece na trama.

- Advertisement -

A MELHOR COISA DE ATERRORIZADA É A PRESENÇA E BELEZA DE AMBER HEARD. E quem conhece o trabalho da atriz de Fúria Sobre Rodas e Zumbilândia, sabe que ela ainda não mostrou todo o talento que todos queremos acreditar que exista em meio a tantas vírgulas e curvas e contornos e você já entendeu…

Kristen (Heard) é uma autêntica garota problema e é internada num hospício quase exclusivo para jovens mulheres. Ela se depara com outras garotas (uma louca de dar nó, uma que é excessivamente infantil, outra que é vaidosa e invejosa, e por último, a inteligente que tenta ser simpática) e logo passa a sentir a presença uma quinta garota. 

O problema é que essa garota fantasma está muito puta com as outras garotas e resolveu se vingar por conta das torturas que resultaram em sua morte. A coitada da Kristen, que nem conhecia a louca morta, fica para pagar a conta e lidar com a fúria da ex-interna. 

Leave Amber alone!

Dirigido pelo mestre do terror John Carpenter, a produção é um thriller de horror que pode ser descrito como o encontro de Sucker Punch – Mundo SurrealGarota Interrompida com Identidade. Mas o resultado é um produto bem inferior às duas referências citadas. Aterrorizada tem os seus momentos como um entretenimento despretensioso e que serve apenas para tentar apresentar uma nova rainha do grito para a nossa geração. Heard pode ser bonita, mas está anos luz de chegar aos pés de Jamie Lee Curtis em Halloween. E o problema maior é que para coroar uma nova rainha, é preciso criar uma história digna de sustos e gritos, o que definitivamente não acontece aqui. 

Para os cinéfilos de plantão, as dicas acima já denunciaram o “segredo” de Aterrorizada. Mas tenho certeza que ninguém que frequenta o Cinema de Buteco irá me odiar por contar o “momento O Sexto Sentido” desse filme do Carpenter. Estou certo? De qualquer forma, as pistas são fornecidas ao longo da trama e um espectador mais atento acaba percebendo exatamente aonde aquilo tudo irá resultar. No momento em que Kristen descobre que ela não passa de um delírio de Alice (Sydney Sweeney), não existe o menor vestígio de impacto. A personagem passa por todos os problemas e perigos para descobrir que ela mesmo sequer existe. 

Filmado em um estilo vintage, para deixar a produção com cara de filme b, o grande problema de Aterrorizada está no ponto de vista do espectador. Para quem espera o ressurgimento do brilho de Carpenter, não foi dessa vez. Mas para o público comum, interessado apenas em se divertir (e as meninas mais bobinhas poderão até mesmo se assustar com a infame cena final) e se distrair com a pipoca agarrando no meio dos dentes, essa é uma opção boa o suficiente. 

Duas caipirinhas. 

The Ward, 2010
Direção: John Carpenter
Roteiro: Michael Rasmussen e Shawn Rasmussen
Elenco: Amber Heard, Danielle Panabaker, Jared Harris

Comentários