Encarnação do Demônio

O cine trash está de volta! O mestre do cinema trash brasileiro José Mojica Marins, traz novamente o seu personagem Zé do Caixão, um ícone do cinema e da cultura nacional. Primeira vez que assisto a alguma coisa do cara e posso dizer que é realmente engraçado (e exagerado!). As atuações são ridículas e a entonação de voz do Zé do Caixão é um mix do Jimmy (vocalista do Matanza) com o Gil Gomes. Os gritos… hahahahahaha

O filme A Encarnação do Demônio encerra a saga do Zé do Caixão em busca da imortalidade através da geração de um filho. Depois de uma sessão de sexo com praticamente todas as mulheres de Sampa, ele acaba engravidando algumas doentes mentais, entre elas, uma ninfetinha tarada. Entre as matanças e cenas de tortura, José Mojica Marins decide usar seu filme para criticar a polícia. Oficiais da PM são apresentados como animais violentos e que matam e espancam qualquer um que passe pelo caminho. Triste e forçado.

Prestem atenção para a cena em que ensinam como se come uma bunda. Tudo que vocês viram em outros filmes eróticos (ou de canibalismo) ficaram ultrapassados. Pena que as meninas do filme não eram tão bonitas, o que é estranho. Estamos no país com as mulheres mais exibidas do mundo inteiro e a produção do filme decide encontrar as mais estranhas. Talvez seja a sina do Zé do Caixão e suas unhas estranhas.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.