O Gabinete do Dr. Caligari

O CINEMA ALEMÃO É ESPECIALMENTE INTERESSANTE NOS ANOS 1920. É a época do Expressionismo Alemão, que gerou este magnífico O gabinete do Dr. Caligari. O filme deu origem ao cinema de suspense/terror.

Aqui, temos Francis (Friedrich Feher) narrando como o  hipnotizador Dr. Caligari (Werner Krauss) e seu sonâmbulo Cesare (Conrad Veidt) impactaram a pacata cidade de Holstenwall, durante uma feira, mais parecida com um parque de diversões. Cesare, governado por Caligari, prevê o futuro. E a partir daí, estranhos assassinatos começam a perturbar a ordem e Holstenwall.  Cesare é assustador. Ao ser acordado, seu olhar é intimidador e causa medo nos espectadores do show do Dr. Caligari.

- Advertisement -

A sensação de terror que o filme causa no expectador é marcada, especialmente, pelos cenários incomuns – sombras profundas pintadas nas paredes; os ângulos enormes em todos os cantos, nas sombras, nas janelas e até mesmo nos tapetes; e a maquiagem forte, em especial, nos olhos dos personagens.
No cinema mudo, vemos como é importante a trilha incidental. É ela que tempera os momentos de tensão e força a atenção do espectador. Outro ponto importante é a atuação. No início da história do cinema como narrativa, e não mais como simples filmagem da vida cotidiana, os filmes eram desenvolvidos com uma forte influência do teatro. Além de ser o único parâmetro da época, a atuação teatral mais forçada era fundamental para auxiliar o entendimento dos filmes sem fala – só a intervenção das legendas não bastam.
A posição das autoridades é emblemática: o oficial do cartório e os policiais estão sempre sentados em bancos altíssimos. Lembra, imediatamente, a narrativa de O Castelo, de Kafka e a ilógica relação entre o povo e os comandantes.
Duas curiosidades:
1) como o filme é mudo, ao ser exportado, os letreiros precisavam ser adaptados à linguagem do país receptor. Assim, os exibidores aproveitaram para “picotar” o filme e “produzir” nova montagem. Por isso, há versões com durações diferentes e ausência de algumas cenas muito interessantes.
2) Veidt, o Cesare, interpretou o primeiro personagem gay da história do cinema no filme Aners als die Andern (1919) e atuou também em Das Land ohne Frauen (1929), o primeiro filme sonoro feito na Alemanha. Seu personagem no filme O Homem que Ri (1928) inspirou a criação do vilão Coringa nos quadrinhos da série Batman.
É um filme obrigatório para quem quer se debruçar sobre a história do cinema. Está na lista dos 1000 filmes para ver antes de morrer.
Das kabinett des Doktor Caligari (1920)
Direção: Robert Weine
Roteiro: Hans Janowitz, Erich Pommer
Elenco: Werner Krauss, Conrad Veidt, Friedrich Feher, Lil Dagover

 

Comentários